Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 07 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

energia

Alterada em 07/12 às 14h21min

GE anuncia que cortará 12 mil empregos em sua unidade de energia

A General Electric informou nesta quinta-feira o corte de 12 mil vagas em seu segmento de energia, ou quase 20% da força de trabalho dessa unidade. A notícia vem num momento em que o conglomerado corta custos e enfrenta o excesso de capacidade em seu negócio principal.
A GE Power afirmou que os cortes são motivados pelos desafios no mercado de energia pelo mundo, além de citar a desaceleração em mercados como carvão e gás. A medida é parte de uma reorganização mais ampla do conglomerado, que no mês passado cortou seu dividendo pela metade e diminuiu fortemente suas projeções de lucro.
O negócio, que fabrica turbinas para usinas de produção de energia a carvão e gás, é o maior da GE tanto em receita quanto em número de funcionários. Ele gerou cerca de US$ 27 bilhões em receita no ano passado e empregava 57 mil pessoas no início do ano. Seu maior concorrente, a Siemens, anunciou no mês passado o corte de 6.900 vagas para lidar com a demanda fraca.
Após assumir em agosto, o executivo-chefe da GE, John Flannery, se concentra nas divisões de aviação, energia e seguro-saúde, ao implementar um esforço para reformular o conglomerado de 125 anos. No fim de 2016, a GE tinha cerca de 295 mil funcionários. A companhia pretende cortar US$ 3,5 bilhões em custos estruturais neste ano e no próximo. 
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia