Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 06 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Notícia da edição impressa de 07/12/2017. Alterada em 06/12 às 22h03min

Poupança tem captação líquida de R$ 3,918 bilhões

Impulsionada pelo pagamento da primeira parcela do 13º salário, a caderneta de poupança fechou o mês de novembro com captação líquida de R$ 3,918 bilhões. O valor reflete o montante de recursos que os poupadores depositaram na caderneta, já descontados os saques no período. Com o resultado, a poupança voltou a apresentar depósitos líquidos, após saldo negativo de R$ 2,007 bilhões em outubro.
O resultado para a poupança foi o melhor para meses de novembro desde 2013, quando houve depósitos líquidos de R$ 6,386 bilhões. Em novembro do ano passado, houve depósitos líquidos de R$ 1,881 bilhão e, em outubro de 2017, saques líquidos de R$ 2,007 bilhões.
Os últimos dias úteis de novembro, quando geralmente o volume de depósitos sobe em função do pagamento de salários, receberam ainda o reforço do pagamento da primeira parcela do 13º. Apenas no dia 30, R$ 6,224 bilhões foram depositados na poupança. Juntos, os dias 28, 29 e 30 foram responsáveis por R$ 7,516 bilhões em depósitos, já descontados os saques.
Em 2015 e 2016, a crise econômica havia acirrado os saques na poupança, com as famílias mais retirando do que colocando recursos na caderneta para fazer frente às despesas. Em 2017, o fenômeno voltou a ocorrer em janeiro, fevereiro, março e abril. Em maio, junho, julho, agosto e setembro, houve captação líquida. Depois, em outubro, os saques novamente superaram os depósitos. Agora, em novembro, o resultado voltou a ser positivo para a caderneta.
De acordo com o BC, o total de aplicações na poupança em novembro foi de R$ 175,789 bilhões, enquanto os saques somaram R$ 171,871 bilhões. O estoque do investimento na poupança está em R$ 702,274 bilhões, já considerando os rendimentos de R$ 3,139 bilhões de novembro.
No acumulado de 2017 até novembro, a poupança registra saques líquidos de R$ 2,246 bilhões, resultado de aportes de R$ 1,877 trilhão e retiradas de R$ 1,879 trilhão. Em todo o ano passado, em meio à crise, R$ 40,702 bilhões líquidos saíram da poupança.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia