Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Celulose

Alterada em 04/12 às 10h10min

Suzano compra Facepa por R$ 310 milhões

A Suzano Papel e Celulose informou nesta segunda-feira (4) em fato relevante, que fechou a compra de 92,84% do capital social total e 99,99% do capital social ordinário da Fábrica de Papel da Amazônia (Facepa), por R$ 310 milhões, sujeito a ajustes.
Segundo o comunicado da Suzano, a Facepa produz e comercializa uma vasta gama de produtos de papel, inclusive toalhas de papel, guardanapos, fraldas, papel higiênico e lenços de papel sob diversas marcas, com forte presença nesse segmento no Norte e Nordeste do Brasil.
A Facepa conta com fábricas localizadas em Belém, no Pará, e Fortaleza, no Ceará. A empresa possuii capacidade instalada total de aproximadamente 50 mil toneladas por ano.
"A operação de aquisição em questão está, assim, alinhada aos objetivos da Suzano de expansão de suas atividades para os mercados de produtos adjacentes à celulose e contribui para as operações da unidade de negócios de bens de consumo da Companhia no segmento de tissue", informa a Suzano no fato relevante.
Na semana passada, a Suzano inaugurou oficialmente sua unidade de Imperatriz, que produz bobinas usadas na confecção de papéis sanitários (tissue). É a primeira fábrica desse tipo no Estado do Maranhão. A unidade terá capacidade para produzir até 60 mil toneladas de papéis por ano.
O início da produção é mais uma etapa do ciclo de investimentos realizados pela Suzano na construção de duas fábricas de papéis sanitários, usados na confecção de papel higiênico, papel toalha, lenços de papel e guardanapos, entre outros itens.
A linha da Unidade Mucuri (BA) foi inaugurada em setembro passado, com a mesma capacidade de produção da fábrica maranhense. O investimento estimado na instalação das duas unidades é de R$ 540 milhões.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia