Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 06 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Sustentabilidade

Notícia da edição impressa de 07/12/2017. Alterada em 06/12 às 17h26min

Logística reversa de fluorescentes começa em Porto Alegre

Medida disciplina a responsabilidade pelo ciclo de vida dos produtos

Medida disciplina a responsabilidade pelo ciclo de vida dos produtos


/STOCKPHOTO/JC
Se você é consumidor doméstico, já deve ter se deparado com a seguinte situação: o que fazer com as lâmpadas fluorescentes, depois que elas queimam? Essas lâmpadas possuem componentes que demandam um fluxo específico na coleta e destinação final. Por isso, o descarte incorreto, como no lixo comum, pode acarretar diversos problemas ambientais.
Com a finalidade de realizar a coleta, destinação ambientalmente correta e a descontaminação desses resíduos, começou a funcionar em Porto Alegre (RS) o programa da Reciclus (Associação Brasileira para a Gestão da Logística Reversa), organização civil sem fins lucrativos, criada pelos principais produtores e importadores de lâmpadas, para atuar como entidade gestora do processo, seguindo um modelo de operação autossustentável.
A iniciativa envolveu diversos segmentos da sociedade e atende à determinação da PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos) - a Lei Federal nº 12.305/2010, que disciplina a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos e na logística reversa (LR) como soluções para o descarte correto de itens que podem causar danos ao meio ambiente. Participam do programa apenas as lâmpadas de uso doméstico, dos seguintes tipos: fluorescentes compactas e tubulares; de vapor de mercúrio, sódio ou metálico; e luz mista.
A Reciclus implantou 10 pontos de entrega de lâmpadas pós-uso em Porto Alegre, com apoio da Fecomércio-RS, nos seguintes estabelecimentos: ABT Comercial São Geraldo (avenida São Pedro, 924), ABT Comercial (avenida Eduardo Prado, 1.941, Cavalhada), Thony Ferragem Matriz (avenida Coronel Lucas de Oliveira, 1.780, Bela Vista), Thony Ferragem Barão (rua Barão do Amazonas, 460, Petrópolis), Thony Ferragem Getúlio (avenida Getúlio Vargas, 881, Menino Deus), Carrefour Porto Alegre (rua Albion, 111, Partenon), Carrefour Passo D'Areia (avenida Plinio Brasil Milano, 2.343, Passo D'Areia), Leroy Merlin (avenida Sertório, 6.767, Sarandi), Makro Porto Alegre (rua Vitor Valpirio, 850, Anchieta) e Big Sertório (avenida Sertório, 6.600, Sarandi)
A implantação dos pontos de coleta segue os critérios técnicos indicados no acordo setorial, como número de habitantes, área urbana, densidade populacional, domicílios com energia elétrica, poder aquisitivo, infraestrutura viária e acessibilidade.
O objetivo da Reciclus é envolver toda a sociedade e a cadeia produtiva em um grande movimento estruturado de coleta de lâmpadas ao final de sua vida útil e promover a destinação final ambientalmente adequada, garantindo que os materiais não estão sendo descartados em locais errados, vindo a prejudicar o meio ambiente.
O processo de separação dos componentes utiliza tecnologia avançada, sob circunstâncias especiais e em ambiente controlado, para que não haja a contaminação do ambiente e das pessoas que operam os equipamentos. Basicamente, separam-se os componentes de metal (terminais de alumínio, soquetes, e estruturas metálicas), o vidro (em forma de tubo, ou outra), o pó fosfórico (pó branco contido no interior) e, principalmente, o mercúrio, que é extraído e recuperado em seu estado líquido elementar.
É possível utilizar os resíduos na fabricação de vários outros produtos: vidros na produção de novos vidros para uso não alimentar; pinos de latão que podem ser fundidos e utilizados para produção de novos materiais; e pó fosfórico que, uma vez livre do mercúrio, pode ser reutilizado em fábricas de cimento ou asfalto.
A Reciclus é uma associação sem fins lucrativos que reúne os principais produtores e importadores de lâmpadas do Brasil.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia