Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 12 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 13/11/2017. Alterada em 12/11 às 18h56min

Promoções na BM, benefício à sociedade

Marcelo Gomes Frota
A segurança pública brasileira escancara o caos em que vivemos. De acordo com o 11 anuário, são 60 mil mortes, quase 50 mil estupros, um carro roubado ou furtado por minuto. O Rio Grande do Sul conseguiu superar o horror nacional. Na política de cortes implementada, afirma, é "possível fazer mais com menos". Avançamos na escalada macabra! Os homicídios alcançam a cifra de 31 mortes por 100 mil habitantes, e Porto Alegre figura entre as três capitais mais violentas do País. A Associação dos Oficiais da Brigada Militar (Asofbm) lamenta o "título", mas não afirma surpresa, temos estudado o fenômeno.
Tarefa extremamente difícil será a de reverter esse quadro. Custará anos e mais vidas. Falar em segurança sem orçamento é não tratar o tema com seriedade. Há necessidade de que se repense todo o sistema de defesa do cidadão, incluídos os Poderes, o Ministério Público, a legislação penal e sua execução. Particularmente, é espetacular a defasagem do efetivo da Brigada Militar. Nunca fomos tão poucos! Não fosse a qualidade de nossa gestão e esse fato seria muito mais óbvio.
Infelizmente, o governo levou três anos para se dar conta da necessidade de promover inclusões. A BM não para. Não faz greve. Está 24 horas nas ruas e requer tratamento condizente com essa renúncia e entrega. O dia 18 de novembro marcará seus briosos 180 anos. A data deve marcar promoções justas, aguardadas, fundamentais à execução dos serviços. As promoções têm sido represadas no atual governo. Definidas em lei, refletem na organização, na ordem e na sequência em que os atos operacionais devem ocorrer, acarretando benefícios à sociedade. Do tenente-coronel ao soldado, divididos em carreiras distintas, este escalonamento de postos e graduações têm íntima ligação com eficiência. Não apenas o aspecto motivacional ou legalidade, mas efetividade nas ações que visam reduzir os escabrosos indicadores apresentados.
Presidente da Asofbm
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia