Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 08/11/2017. Alterada em 07/11 às 20h19min

A greve e a economia da cidade

Sofia Cavedon
Esta gestão municipal faz mal à cidade, não somente pelos prejuízos diretos à população ao provocar e menosprezar uma greve tão longa e forte, mas também por ampliar a crise econômica em Porto Alegre. Ao parcelar salários, sem repor as perdas da inflação - sem ter comprovado que esta medida era incontornável, pois inspeção especial se instala no TCE e a Justiça aplica multas por isso - retira, em especial do comércio e dos serviços, massa significativa de investimentos.
Mais de 20 mil famílias estão inseguras e não realizam nem planejam gastos desde maio deste ano. Estudos realizados pelo economista Cristiano Ghinis com base na matriz insumo-produto da FEE, dizem que o impacto será maior se aprovados os projetos que tramitam na Câmara que tiram regime de trabalho e ganhos na carreira do funcionalismo, chegando a ponto de causar desemprego nesses setores. A mobilização da categoria municipária denuncia que o governo insiste em abrir para a iniciativa privada um órgão que investe permanentemente em obras e serviços na cidade com recursos próprios e que tem capacidade de captação sem abrir mão da gestão e da receita da tarifa, como é o Dmae. Aliás, decisões de governo atrasaram irresponsavelmente inúmeras contratações fundamentais para a garantia de água no verão.
Podia ser pior? A cidade deixou ter esse investimento no desenvolvimento econômico e ainda terá impactos negativos na sua condição de vida - isso com dinheiro em caixa! Projeto que quer impor medidas como essas, de uma forma autoritária, arrogante e perversa - pois penaliza os servidores que atendem a população mais pobre com as políticas públicas - não pode prosperar. Esse é o recado da greve e da população, que vem apoiando por compreender o seu sentido: que as políticas públicas e escolhas de gestão sejam promotoras de desenvolvimento e participação democrática da população, e não que concorram para piorar a vida na cidade!
Vereadora de Porto Alegre (PT)
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
ALVARO KNIESTEDT 08/11/2017 08h27min
A greve dos Servidores de Porto Alegre, provocada pela desastrada política da atual administração, tem dado ensinamentos importantes. O primeiro foi dos ex-prefeitos, que unânimes denunciaram a má gestão em curso, isso mostra que até aqueles fora do governo se importam mais com a cidade. Outro, ainda mais importante é que o cidadão já compreende os equívocos da atual administração, negando-se a participar de seus eventos, como é o caso, da agora chamada, "cidade de mentirinha". Total fracasso.