Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Oriente Médio

Notícia da edição impressa de 14/11/2017. Alterada em 13/11 às 22h32min

Sauditas reabrem aeroportos e portos no Iêmen

A Arábia Saudita afirmou, nesta segunda-feira, que a coalizão liderada por ela que enfrenta rebeldes xiitas no Iêmen começará a reabrir aeroportos e portos no Iêmen, o país árabe mais pobre, dias após fechá-los por causa de um ataque de um míssil lançado por rebeldes tendo Riad como alvo.
O anúncio da missão saudita na Organização das Nações Unidas (ONU) ocorre após a coalizão que enfrenta os rebeldes iemenitas, conhecidos como houthis, enfrentar críticas internacionais pelo fechamento. A ONU e mais de 20 grupos humanitários afirmaram que a medida poderia deixar milhões de pessoas mais próximas "da fome e da morte".
"O primeiro passo neste processo será adotado dentro de 24 horas e envolve a reabertura de todos os portos em áreas controladas pelo governo internacionalmente reconhecido do Iêmen, apoiado pela coalizão", disse a missão em comunicado.
A coalizão liderada pelos sauditas espera garantir que não ocorra o contrabando de armas e munições nem de partes de mísseis ou dinheiro, que, segundo ela, chegam do Irã ou de "cúmplices iranianos dos rebeldes houthis".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia