Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Narcotráfico

Notícia da edição impressa de 10/11/2017. Alterada em 09/11 às 20h26min

Polícia colombiana realiza apreensão recorde de cocaína

Operação contou com 400 agentes, que invadiram quatro imóveis

Operação contou com 400 agentes, que invadiram quatro imóveis


/PRESIDÊNCIA DA COLÔMBIA/AFP/JC
A polícia da Colômbia confiscou 12 toneladas de cocaína, a maior apreensão realizada em uma única operação na história do país, anunciou o presidente Juan Manuel Santos. "Nunca antes, desde que começamos, há mais de 40 anos, a lutar contra o narcotráfico, tínhamos feito uma apreensão desta magnitude", declarou o mandatário à imprensa.
Avaliado em US$ 360 milhões (cerca de R$ 1,2 bilhão), o carregamento pertencia ao Clã do Golfo, principal facção armada do tráfico de drogas, e foi apreendido em uma zona do departamento de Antioquia com apoio internacional. "Com essa apreensão, superamos a cifra que confiscamos no ano passado: já são 362 toneladas este ano", contra 317 em 2016, comemorou Santos.
Em comunicado, a polícia detalhou que cerca de 400 agentes antinarcóticos invadiram quatro imóveis nos municípios de Chigorodó e Carepa, onde a droga estava armazenada debaixo da terra. O carregamento pertencia a Dairo Antonio Úsuga, conhecido como "Otoniel", chefe máximo da organização e o homem mais procurado na Colômbia por ser o maior produtor e exportador mundial de cocaína. O Clã do Golfo é formado por remanescentes dos grupos paramilitares de extrema direita desmobilizados em 2006.
A Colômbia é o maior produtor e exportador mundial de cocaína, e os Estados Unidos, o principal consumidor da droga. Entre 2014 e 2016, os "narcocultivos" passaram de 69 mil para 146 mil hectares, e a produção subiu de 442 para 866 toneladas, segundo a Organização das Nações Unidas.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia