Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Internacional

CORRIGIR

Relações Internacionais

Alterada em 09/11 às 13h42min

Arábia Saudita pede que cidadãos do país saiam imediamente do Líbano

A Arábia Saudita pediu para que seus cidadãos saiam imediatamente do Líbano, em meio a uma escalada das tensões entre os governos dos dois países.
Em um breve comunicado da agência de notícias estatal saudita, foi divulgado que o governo pediu para que todos os cidadãos do país que morem ou estejam visitando o Líbano saiam imediatamente, e alertou contra viagens ao local.
O primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri, chocou o país no sábado ao anunciar, em um comunicado televisionado, que estava renunciando ao cargo. O premiê se encontrava na Arábia Saudita no momento. Segundo ele, o Líbano "foi feito de refém" pelo grupo Hezbollah, que é parceiro da coalizão de seu governo e um grande inimigo da Arábia Saudita.
Segundo os sauditas, a participação do Hezbollah no governo do Líbano é considerado um "ato de guerra" contra o reino.
O presidente do Líbano, Michel Aoun, afirmou que não vai considerar a renúncia do primeiro-ministro até que o encontre pessoalmente. Ele não voltou para o país e não se sabe sua localização.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia