Lorenço, Ricardo, Fábio e Alexandre criaram o Loop Bike Sharing Lorenço, Ricardo, Fábio e Alexandre criaram o Loop Bike Sharing Foto: /REPRODUÇÃO/JC

Aplicativo de aluguel de bicicletas é lançado em Porto Alegre

Diferencial do Loop Bike Sharing é a possibilidade de realizar paradas. As bicicletas vêm acompanhadas de cadeado

Um novo aplicativo de aluguel de bibicletas está disponível em Porto Alegre. É o Loop Bike Sharing, criado por Alexandre Mattos, 23 anos, junto aos sócios, Lorenço Boettcher, 22, Ricardo Pierozan, 23, e Fábio Innocente, 26.
O diferencial do app é a possibilidade de os ciclistas realizarem paradas durante as pedaladas. As bicicletas acompanham um cadeado, com tecnologia terceirizada, que tem travamento pelo aplicativo. Assim, o usuário pode estacionar a bici de maneira segura enquanto entra em algum estabelecimento. Outra funcionalidade é poder reservar a bicicleta com dez minutos de antecedência.
Para se tornar um looper - como são chamados os usuários do aplicativo, é preciso apenas criar um cadastro. A partir daí, é possível realizar corridas avulsas de duas horas de duração por R$ 4,90, ou fazer a assinatura mensal, sem limite de corridas, por R$ 29,90.
As estações das bicicletas (Loopoints), por enquanto, estão localizadas apenas no bairro Moinhos de Vento, na capital gaúcha. Atualmente, a equipe da startup está em negociação com estabelecimentos comerciais para aumentar a capilaridade de pontos da Loop e a frota, hoje com doze unidades.
A ideia surgiu há dois anos, no Desafio Empreendedor promovido pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Na ocasião, os sócios decidiram trabalhar com sustentabilidade. A partir dessa premissa, criaram o weBike, projeto que originou o negócio atual. Em 2016, o grupo foi escolhido como a startup mais inovadora do Brasil durante o SAP Startup Focus Forum Brasil.
Após o reconhecimento, foram levantados cerca de R$ 33 mil para investir no projeto através de um financiamento coletivo na internet. Com o valor arrecadado, o grupo adquiriu as bicicletas em parceria com uma marca brasileira e personalizou as peças. Alexandre calcula que o valor investido em cada magrela, da compra à personalização, se aproxima de R$ 1,7 mil.
Lançado oficialmente no dia 19 de novembro de 2017, o aplicativo possui mais de 200 downloads. Porém, para garantir a melhor experiência dos ciclistas, os usuários serão habilitados a usar o app conforme a aquisição de novas bicicletas.
Para o futuro, os sócios planejam trabalhar cada vez mais no conceito de mobilidade integrada - modelo de locomoção utilizado na China, no qual as bicicletas complementam os meios de transporte público. “Você não precisa utilizar a bicicleta como seu único meio de transporte. Mas, sim, conseguir integrá-la aos outros meios”, explica Alexandre.
MARCO QUINTANA/JC
Alexandre Mattos fundou o Loop Bike Sharing | Foto: MARCO QUINTANA/JC
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio