Porto Alegre, domingo, 10 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

Entidades Sem Fins Econômicos (Até R$ 250 mil)

Notícia da edição impressa de 11/12/2017. Alterada em 10/12 às 20h25min

Fundação La Salle: nos caminhos da transformação social

Trabalho ocorre junto à crianças, adolescentes, jovens e mulheres em busca de oportunidades

Trabalho ocorre junto à crianças, adolescentes, jovens e mulheres em busca de oportunidades


BANCO DE IMAGENS FUNDAÇÃO LA SALLE/DIVULGAÇÃO/JC
A Fundação La Salle executa projetos sociais voltados para a promoção de direitos, prevenção às violências, organização comunitária, apoio educacional, desenvolvimento do esporte, da cultura e do lazer. São várias iniciativas, que buscam sempre a transformação social das pessoas e das comunidades.
Como integrante da Rede La Salle de Educação e com 11 anos de existência, o trabalho da instituição é na ponta, pois ocorre junto a crianças, adolescentes, jovens e mulheres que estão em busca de oportunidades. A atuação é múltipla, intersetorial e interdisciplinar, contando com profissionais de Sociologia, Psicologia, Assistência Social, Assessoria Jurídica e Pedagogia.
Dezesseis projetos sociais foram constituídos em diferentes espaços de atuação no ano de 2016, a partir de uma proposta educativa que alcança outros fóruns formativos, além daqueles constituídos formalmente, como a escola, a família, a igreja. Um desses espaços diferenciados é o trabalho das Agentes de Ação Social, em parceria com a prefeitura de Canoas. Mulheres que antes não possuíam emprego fixo ou que não tinham registro profissional de suas atividades passaram a integrar, desde maio, o projeto Casa da Cidadania.
Essa iniciativa do Sistema Municipal de Prevenção de Violências, que teve como eixo central o trabalho de mobilização comunitária, foi conduzida e coordenada pelas antigas Mulheres da Paz - um grupo de mulheres atuantes nos bairros Guajuviras e Mathias Velho. As ações deste grupo foram voltadas, principalmente, ao empoderamento feminino e ao enfrentamento das violências de gênero.
O trabalho desenvolvido pelas 28 Agentes de Ação Social foi dividido em três eixos: acolhimento e mediação comunitária de conflitos; prevenção comunitária às violências; e educação para os direitos. Todo o processo de formação de que as agentes participaram possibilitou a multiplicação dos conhecimentos e ações referentes ao empreendedorismo de mulheres e à promoção de políticas de empoderamento de igualdade de gênero, através de iniciativas voltadas à comunidade e ao ativismo social.
A partir de suas práticas, o grupo garantiu visibilidade social, passando a integrar espaços de participação popular e controle social, como, por exemplo, o Conselho Municipal de Saúde e o Conselho Municipal de Políticas para as Mulheres, além de encontros sistemáticos com a Rede Municipal de Enfrentamento às Violências. Em 2017, o trabalho das agentes de Ação Social continua atendendo às demandas por ações que se incidam na realidade pautada nas desigualdades entre homens e mulheres.
O projeto Casa da Cidadania foi o grande vencedor do Tema Norteador do Prêmio de Responsabilidade Social, que, neste ano, abordou a Equidade de Gênero.
Para o diretor-presidente, Ir. Olavo José Dalvit, esse e os demais projetos sociais realizados pela Fundação La Salle são o sentido da existência da instituição, que preza por uma sociedade com igualdade de oportunidades. Segundo ele, executar projetos sociais em parceria com órgãos públicos e outras instituições é uma forma de levar adiante o compromisso lassalista com os mais pobres.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Antiga p agina Inicial

Acesse o caderno especial online