Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 29 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

29/11/2017 - 14h18min. Alterada em 29/11 às 18h17min

Natal vai movimentar mais de R$ 400 milhões em Porto Alegre

Assim como no ano passado, as roupas lideram o ranking de compras neste Natal

Assim como no ano passado, as roupas lideram o ranking de compras neste Natal


JONATHAN HECKLER/JC
O Natal deve movimentar cerca de R$ 405,32 milhões em Porto Alegre neste ano. A expectativa, divulgada nesta quarta-feira (29) em pesquisa da CDL POA com o Sindilojas Porto Alegre, aponta ticket médio por presente de R$ 91,57 e gasto médio por pessoa de R$ 439,98.
A variação ficou em torno de 6% nominal com relação ao ano passado. Descontando a inflação esperada para o final do ano (3,09%), a expectativa é de variação real de 2,82% nas vendas.
Assim como no ano passado, as roupas lideram o ranking, com 61,9% da preferência pelo presente a ser adquirido. Depois, aparecem os brinquedos (46,4%), os artigos de perfumaria/cosméticos (22,7%), calçados (17,3%) e acessórios (13,6%).
Do total de consultados, 74% afirmaram que irão presentear alguém neste Natal. A média de agraciados por cada consumidor entrevistado será de quatro pessoas, com um presente para cada. Os filhos estão em primeiro na lista (57,20%), seguido dos pais (42,40%), da companheira ou companheiro (35,10%) e dos netos (25%). 
A maioria das compras deverá se efetivar na semana do Natal (opção de 32,3%). Até lá, as pesquisas de preços ocorrerão, na sua maioria, em lojas físicas (63,3%). E 29,8% pretendem fazer uma busca pela internet – curiosamente, um número menor do que o apresentado na pesquisa de 2016 (46%).
A forma de pagamento que deverá predominar será à vista em dinheiro (53,8%), mas 24,8% pretendem usar o cartão de crédito parcelado e 13,9%, o cartão de débito à vista.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia