Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 14 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 14/11 às 10h37min

Petróleo opera em baixa, após AIE reduzir projeções de demanda

Os futuros de petróleo operam em baixa nesta manhã (14), mantendo o comportamento da madrugada, após a Agência Internacional de Energia (AIE) reduzir suas projeções de demanda para este e o próximo ano.
Em relatório mensal divulgado hoje, a AIE avaliou que o recente rali nos preços do petróleo pode ter vida curta e que a demanda global poderá ser mais modesta do que se imaginava anteriormente.
A AIE espera agora que a demanda por petróleo cresça 1,5 milhão de barris por dia neste ano e 1,3 milhão de barris por dia em 2018, uma redução de 100 mil barris por dia em relação às projeções anteriores.
A visão da AIE contrasta com a da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que ontem elevou suas previsões de demanda.
Às 10h27min (de Brasília), o petróleo tipo Brent para janeiro caía 0,57% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 62,80 por barril, enquanto o WTI para dezembro recuava 0,60% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 56,42 por barril.
Mais tarde, no começo da noite, a associação de refinarias dos EUA conhecida como American Petroleum Institute (API) divulga sua pesquisa semanal sobre estoques do país, considerada prévia do levamento oficial que o Departamento de Energia (DoE) publicará amanhã. 
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia