Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

Notícia da edição impressa de 14/11/2017. Alterada em 13/11 às 20h46min

Aproveitar as ofertas da Black Friday requer planejamento

Uma dica é fazer prints da tela e guardar os anúncios com descontos

Uma dica é fazer prints da tela e guardar os anúncios com descontos


/MARIANA CARLESSO/JC
Marysol Cooper
O consumidor já pode começar a se preparar para a Black Friday, no dia 24 de novembro, quando lojas eletrônicas e físicas em todo o Brasil realizam ofertas e vendas com desconto. A data, que já integra tradicionalmente o calendário norte-americano após o feriado de Ação de Graças (Thanksgiving), chegou ao Brasil em 2010 e promete movimentar o mercado neste ano.
A dica é, para quem quiser aproveitar as ofertas, começar desde já a acompanhar preços de produtos de maior interesse, como eletrodomésticos e eletroeletrônicos. A diretora executiva do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) Porto Alegre, Sophia Martini, indica guardar prints de telas e recortes dos anúncios para verificar se realmente há desconto.
"Os ataques cibernéticos são o que mais nos preocupa neste período que antecede a Black Friday", afirma Sophia. Ela sugere aos consumidores a compra virtual apenas por sites já conhecidos, e nunca atalhar pelas redes sociais. "Na maioria das vezes, os links publicados são fraudulentos", acrescenta.
Segundo Sophia, também é importante, ao acessar um site de compras, verificar se há informações como endereço, telefone e CNPJ, que ajudam a comprovar a idoneidade do site. O Procon monitora desde o início de novembro as páginas eletrônicas com produtos atraentes, já que diversos sites dão descontos em produtos desde o início do mês.
Segundo estimativa divulgada pelo portal BlackFriday.com.br, a data deverá movimentar R$ 2,2 bilhões em vendas, o que representa uma alta de 19% em relação a 2016. Já um levantamento realizado pela Ebit aponta que 44% dos entrevistados compraram na Black Friday de 2016, dos quais um quarto nas lojas físicas, e 56% consultaram um comparador de preços ou uma loja virtual antes de efetivar a compra. Além disso, 81% deles disseram que pretendem adquirir algo pela internet em 24 de novembro.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia