Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tecnologia

Notícia da edição impressa de 14/11/2017. Alterada em 13/11 às 20h48min

Falta de talentos dificulta transformação em empresas

Mais da metade das corporações disse que a lacuna digital cresce

Mais da metade das corporações disse que a lacuna digital cresce


/VISUAL HUNT/DIVULGAÇÃO/JC
O mundo digital oferece milhares de oportunidades no mercado de trabalho, e os profissionais, cientes dessa realidade, estão correndo atrás para conseguir se preparar e conquistar melhores colocações no futuro. Prova disso é que quase 50% dos funcionários investem o próprio dinheiro e tempo adicional, além do horário de trabalho, no desenvolvimento de conhecimentos digitais por conta própria.
Os dados fazem parte de um amplo estudo global realizado pela Capgemini e pelo LinkedIn, a maior rede profissional do mundo sobre a carência de talentos digitais. O The Digital Talent Gap - Are Companies Doing Enough? (A Lacuna dos Talentos Digitais - As empresas estão fazendo o suficiente?) revela as preocupações das pessoas ao avaliarem as próprias capacidades digitais e a falta de recursos de treinamento disponíveis em seus locais de trabalho. Foram entrevistados 753 profissionais e 501 executivos ocupantes de posições em níveis de diretoria ou superiores em grandes empresas, com receitas reportadas de mais de US$ 500 milhões para o exercício de 2016 e mais de 1 mil funcionários. A pesquisa foi realizada entre junho e julho de 2017.
Todas as organizações participantes reconhecem que a lacuna digital está se ampliando. Mais da metade (54%) concordou que esse gap está dificultando seus programas de transformação digital e que sua empresa perdeu vantagem competitiva devido à escassez de talentos digitais.
Há uma alta demanda por profissionais que reúnam habilidades do tipo hard digital skills, com experiências em áreas como Análise Avançada, Automação, Inteligência Artificial e Cybersegurança. "No futuro, o abismo de talentos nessa área continuará aumentando, de modo que nenhum empregador poderá parar e se estabilizar confortavelmente. As organizações precisam inovar consistentemente e planejar a evolução de sua força de trabalho", sugere a chefe de Liderança Executiva e Mudanças da Capgemini, Claudia Crummenerl.
Mesmo com a crescente falta de talentos, os orçamentos para a capacitação em tecnologias digitais seguem no mesmo patamar ou foram reduzidos em mais da metade nas companhias entrevistadas (52%). Enquanto 50% delas continuam a promover discussões sobre a falta de talentos digitais em sua equipe, mas não fazem muito para resolvê-la.
Outra constatação é que muitos profissionais estão preocupados com a sua evolução nessa área. No geral, 29% deles acreditam que seus conhecimentos são redundantes atualmente, ou serão em um ou dois anos, enquanto mais de um terço deles (38%) considera que seu conjunto de habilidades se tornará redundante nos próximos quatro a cinco anos.
"A redundância de habilidades é uma preocupação fundamental entre os empregados entrevistados, e garantir um caminho de desenvolvimento claro é essencial para que essa questão seja endereçada rapidamente", analisa Claudia Crummenerl, dizendo que as organizações enfrentam um gigantesco desafio em relação à capacitação digital de alto nível.
O estudo mostra que os profissionais também sentem que os programas de treinamento oferecidos pelas companhias não são tão eficazes. Mais da metade afirmou que os atuais programas de capacitação não são úteis ou apontam não ter tempo para participar das iniciativas oferecidas. E praticamente a metade (45%) descreveu os programas de treinamento de sua organização como inútil e chato.
As preocupações com a redundância de habilidades e a falta de confiança nos esforços de capacitação e aprimoramento das organizações têm o potencial de desencadear demissões voluntárias, aponta o estudo.
 

Posições digitais em destaque até 2019

1. Segurança da Informação/consultor de Privacidade
2. Chief Digital Officer/Chief Digital Information Officer
3. Arquiteto de Dados
4. Gerente de Projetos Digitais
5. Engenheiro de Dados
6. Chief Customer Officer
7. Personal Web Manager
8. Líder de Internet das Coisas
9. Cientista de Dados
10. Chief Analytics Officer/Chief Data Officer
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia