Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 07 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

desenvolvimento

Notícia da edição impressa de 08/11/2017. Alterada em 07/11 às 21h26min

Governo lança Projeto Avançar, com R$ 42,15 bilhões

Investimentos incluem desde moradias até creches e presídios

Investimentos incluem desde moradias até creches e presídios


/CLAITON DORNELLES/JC
Em nova tentativa de buscar uma agenda positiva para se contrapor a medidas amargas, o governo vai anunciar amanhã o Projeto Avançar, que prevê investimentos de R$ 42,15 bilhões até o fim de 2018, ano eleitoral. Após conseguir barrar na Câmara as duas denúncias contra o presidente Michel Temer, o Palácio do Planalto apostará na estratégia de comunicação para passar uma mensagem de otimismo, ancorada justamente pelo Avançar.
Os recursos virão do orçamento e, de acordo com o governo, ficarão livres das costumeiras tesouradas, porque, com a crise fiscal, os investimentos foram os mais afetados. Sob o guarda-chuva do Avançar estão 6.233 projetos, de creches à construção de presídios, passando por moradias do Minha Casa Minha Vida.
Não há, na prática, nenhum programa novo, mas a equipe de Temer dará uma repaginada em planos ofuscados pela crise política e econômica. Muitas obras que serão apresentadas estavam contidas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) - que começou no governo de Luiz Inácio Lula da Silva e continuou na gestão de Dilma Rousseff - e foram paralisadas.
Do total de investimentos, R$ 9,03 bilhões serão reservados para políticas sociais; R$ 24,12 bilhões, para obras de infraestrutura; e R$ 8,99 bilhões, para defesa. Os números ainda podem sofrer pequenas alterações.
O governo já tentou lançar o Avançar outras vezes, mas adiou o plano por falta de dinheiro nos cofres do Tesouro para bancar investimentos públicos. O valor do projeto também foi bastante reduzido.
No Congresso, até aliados do Planalto alegam que, na ânsia de mostrar resultados após se livrar da segunda denúncia - desta vez, por obstrução da Justiça e organização criminosa -, Temer rebatizou o PAC com o nome de Avançar. Auxiliares do presidente dizem, porém, que o projeto desta temporada não tem recursos privados, como o PAC. De qualquer forma, Temer tem agora um pacote reembalado para exibir em ano de eleições.
A campanha publicitária que o governo vai divulgar terá o mote "Agora é Avançar" e aparecerá na TV e nas redes sociais a partir de amanhã à noite. Para reforçar essa ideia, o presidente já começou a usar em discursos a expressão "O Brasil voltou", em uma analogia com o festivo "O campeão voltou", do País do futebol.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia