Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 06 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Varejo

Alterada em 06/11 às 09h27min

Indicador de vendas da Mastercard registra alta de 3,3% no varejo em setembro

As vendas de eletrodomésticos tiveram avanço acima do indicador total

As vendas de eletrodomésticos tiveram avanço acima do indicador total


JOSÉ CRUZ/ABR/JC
As vendas no varejo brasileiro (excluídas as de automóveis e materiais de construção) aumentaram 3,3% em setembro na comparação com igual mês de 2016, segundo o indicador SpendingPulse, da Mastercard. Esse foi o quinto crescimento consecutivo nesta base de comparação, destaca a empresa. No terceiro trimestre, a média de expansão foi de 3,2%, que, por sua vez, é superior à alta de 1,1% verificada de abril a junho.
O economista-chefe da Mastercard Advisors no Brasil, César Fukushima, afirma que foi possível perceber que a perspectiva de queda da taxa de desemprego e a ligeira melhora no crescimento salarial impactou positivamente as vendas do varejo, com um gradativo aumento na concessão de crédito. "Por mais que haja algumas incertezas do ambiente econômico atual, ainda mantemos a perspectiva de melhora gradativa no comércio varejista nos próximos meses", estima Fukushima.
Entre os setores, supermercados, artigos farmacêuticos e móveis e eletrodomésticos mantiveram avanço acima do indicador total, enquanto artigos de uso pessoal e doméstico, vestuário e combustíveis tiveram desempenho inferior à média.
No e-commerce, que mostrou aumento de 17,9% em setembro, os setores de móveis e vestuário se destacaram com crescimento superior à média deste canal de distribuição. Já os setores de hobby & livraria, eletrônicos e artigos farmacêuticos permaneceram abaixo da média do canal.
Em relação ao desempenho das regiões brasileiras, o maior avanço foi no Norte (4,7%), seguido do Sul (4,5%) e do Sudeste (3,4%). No Nordeste (3%) e no Centro-Oeste (0,8%), as vendas ficaram abaixo da média de desempenho do País em setembro ante igual mês de 2016.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia