Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 12 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Acontece

Notícia da edição impressa de 13/11/2017. Alterada em 10/11 às 17h45min

Cinematografia africana é destaque no Cineclube de Torres

O filme No olho do furacão, de Sékou Traoré, integra o ciclo de novembro Mãe África do Cineclube Torres. A sessão ocorre no Restaurante A Prainha (Joaquim Pôrto, 151), sempre às 20h, e com entrada franca. No longa, Emma é uma corajosa defensora pública que decide representar um perigoso rebelde acusado de crimes de guerra desde quando era uma criança soldado. Para o sistema, ele não passa de uma besta feroz, mas, aos poucos, revela os dramas do seu passado.
Em colaboração com a cinemateca do Institut Français e a Embaixada da França, a mostra apresenta uma programação de obras recentes da cinematografia africana. Os filmes vêm de países francófonos, como Senegal e Burkina Faso, ou coproduções francesas, abordando temas-chave da sociedade africana contemporânea: as migrações, os sonhos de jovens, as guerras civis, os aspectos político-econômicos pós-coloniais e o papel da mulher em países em desenvolvimento. A iniciativa, integrada à Semana da Consciência Negra de Torres, tem o apoio do grupo de cultura afro Camélias de Torres.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia