Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 12 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Affonso Ritter

Observador

coluna Affonso Ritter

Notícia da edição impressa de 13/11/2017. Alterada em 12/11 às 20h52min

Energia renovável no EEBA

Os temas prioritários do 35º Encontro Econômico Brasil-Alemanha, hoje e amanhã, na Fiergs, já com mais de 2,2 mil inscrições, serão tecnologia da informação, couro e calçados, química e petroquímica, saúde, orgânicos e funcionais, e energia renovável. De todo eles, os alemães, por certo, têm muito a ensinar (e negociar) em matéria de energia renovável, a partir de incentivos federais a iniciativas locais. Tanto que, só no primeiro semestre de 2017, o País adquiriu mais de 30% de sua energia de fontes renováveis, segundo a Federação Alemã de Energia Renovável. Entre as alternativas usadas estão energia eólica, solar, biomassa e hidrelétrica. A meta é produzir 45% de toda a sua eletricidade a partir de fontes renováveis até 2040 e 60% até 2050.
Energia grátis um dia
Um dia memorável para a Alemanha em matéria de energia renovável foi o domingo, 8 de maio de 2016, quando bateu o recorde na produção de energia renovável, que totalizou 55 GW, ou 87% do total consumido no país. E houve picos em que seu custo ficou negativo, e o consumo, grátis e até pago ao consumidor. Um avanço na produção alemã da energia eólica foi a instalação de usinas no mar.
Balanço da Fiergs
O almoço, na sexta-feira passada, na Fiergs, reuniu, em uma mesa, a equipe de economistas da entidade, atenta à palestra do ministro Henrique Meirelles. É que eles já estão elaborando o balanço do ano e perspectivas para 2018. Aliás, hoje, a equipe se reúne justamente para tratar de números, tarefa muito difícil, principalmente para projetar 2018, como foi dito pelos participantes em conversa informal.
Pelo cadastro positivo
Se depender da aprovação de projeto tramitando no Congresso, o cadastro positivo terá mudança importante. Vigente desde 2013, sua adesão tem que partir até hoje do consumidor. Pelo projeto, a adesão é automática, com possibilidade de exclusão, caso seja sua vontade, lembrou, na Fiergs, o ministro Henrique Meirelles, que manifestou seu apoio. A mudança, por certo, vai destravar e baratear o crédito.
Escola de informática em canteiro
A construtora mineira MRV Engenharia inaugura, às 9h de amanhã, a primeira escola de informática para trabalhadores da construção civil de Novo Hamburgo, em parceria com o Sesi. Será para os funcionários do empreendimento Porto Trinidad, no bairro Vila Rosa, durante o horário de trabalho, em sala de aula instalada no próprio canteiro. A escola inicia com 10 alunos matriculados, sendo que o primeiro curso terá duração aproximada de três meses. A ação faz parte do projeto Escola Nota 10 da MRV, que já promoveu a alfabetização de 3 mil operários em 170 salas de aula implantadas em canteiros de todo o País. No Rio Grande do Sul, são cinco escolas instaladas em canteiros, beneficiando mais de 150 alunos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia