Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 14 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

De Olho na tevê

Notícia da edição impressa de 14/11/2017. Alterada em 13/11 às 21h42min

Jogo bom

Finalmente uma poderosa seleção europeia estará em campo contra a brasileira. Não me passa pela cabeça algo nem parecido com os 7 a 1. O grupo tem várias novidades em relação àquele do vexame, especialmente fora do gramado: Tite e sua filosofia são a força motriz para que os atletas joguem moderna e harmonicamente. Contra a Inglaterra não será diferente. Um teste assim, agora com vaga garantida na Copa, é absolutamente indispensável ao Brasil. Foi bom jogar contra o Japão, melhor será enfrentar os ingleses e a tradição de Wembley.
E Guto não ficou
A interrogação destacada na coluna passada encontrou resposta no sábado, quando a demissão do treinador foi anunciada, enquanto parte da torcida quebrava o que podia no entorno do Beira-Rio. Duas coisas a pensar: a depredação pode custar penalizações ano que vem, na Série A - da vez anterior o tribunal foi complacente, cobrou apenas uma multinha. A outra é substituir Guto Ferreira agora, por um auxiliar que, provavelmente, não terá sequer o impacto positivo que essas trocas trazem. A três rodadas do final, estava mais do que na hora de pensar em 2018. Não desse jeito.
O que precisa acontecer
Abel? Cuca? Levir Culpi? São grandes e caros, equivalem a velhas fórmulas já utilizadas no Inter. Acho difícil tirar Ventura do Botafogo, Zé Ricardo do Vasco e apresentar o competente Roger, de passagens tão marcantes pelo Grêmio. Melhor seria apostar em Carpegiani, que nunca teve chance de mostrar seu inegável potencial como técnico do Inter. Não com aquela intolerância e o imediatismo que desestabilizaram Falcão, mas com foco na montagem de um elenco forte, usando o Gauchão para testes e fazendo o time jogar o que interessa - Brasileirão e Copa do Brasil.
A decepção do ano
Rogério Ceni tinha tudo para prosseguir sua brilhante carreira no futebol como treinador. Ainda mais no São Paulo, com toda a afinidade construída ao longo de décadas no gol. A direção contratou quem ele quis, gastou o que não podia, entregou-lhe os plenos poderes que o ídolo exigia e recebeu de volta a concreta ameaça de cair para a Série B. Deve ter sido constrangedor demiti-lo, mas era necessário: Ceni assumiu no tempo errado, com bons conhecimentos e experiência zero na função. Agora vai recomeçar do jeito certo: no Fortaleza e na Série B, tem tudo para crescer.
Pitacos
  • O Grêmio, como se viu em Caxias, não passa segurança alguma para enfrentar o Lanús. Há que mudar a atitude. E o futebol.
  • O Oeste estará motivado, ainda com chances reais de entrar no G-4. O Inter, bem, se levarmos em conta seu recente retrospecto, entra como zebra no gramado de Barueri.
  • O Ju pode ajudar os colorados a evitarem o título do América-MG. Campeão da Série B não é troféu para ocupar lugar de destaque no Beira-Rio, eu sei. Mas pior é ser vice, terceiro...
  • O Brasil de Pelotas tem o fraco ABC hoje no Bento Freitas. Ocasião para consolidar a meta possível em 2017: permanência na Série B.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 14/11/2017 09h44min
OS JOGADORES DO INTERNACIONAL, PRECISAM SE INSPIRAR NUM DETERMINADO TIME DE ESCOTEIROS!!!nColorados, mais uma vez vamos torcer com paciência para que hoje lá em Barueri contra o perigoso time do OESTE, os nossos JOGADORES consigam encontrar rapidamente o OBJETIVO MAIOR, que é Ponto Cardeal da Série A, que fica dentro da GOLEIRA do adversário. Que os jogadores não tenham perdido totalmente o rumo de como se joga futebol nesta competitiva Série B, já que rodaram de NORTE, SUL, LESTE e OESTE deste Brasil, e mesmo assim ainda falta um pontinho para subir. Quando vejo uma partida do Colorado tenho a nítida impressão de quando a BOLA ainda está na região Norte do Campo, os atletas já estão bem lá no Sul quase na fronteira, esperando um BALÃO. Por falta de UNIÃO, CONFIANÇA para jogar FUTEBOL com COMPETÊNCIA, a BOLA chega por acaso na Região Leste, eles se deslocam rapidamente para o Norte causando muito desgaste físico e CONFUSÃO entre eles mesmos. Chega de fazer tudo ERRADO, se inspirem num time de ESCOTEIROS, peguem uma BÚSSOLA e encontre rapidamente o caminho dos GOLS da VITÓRIA para todos sair de campo, muito mais felizes. Abs. Dorian Bueno, Google+Plus, POA, 14.11.2017.n