Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 30 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Combustíveis

Notícia da edição impressa de 30/11/2017. Alterada em 30/11 às 14h21min

ALE se filia à Brasilcom e reforça proximidade com os revendedores

ALE quer reforçar sua posição de empresa de porte nacional com atuação regional

ALE quer reforçar sua posição de empresa de porte nacional com atuação regional


CLAITON DORNELLES/JC
A ALE, quarta maior distribuidora de combustíveis do País, se filiou, neste mês, à Associação das Distribuidoras de Combustíveis (Brasilcom), que reúne distribuidoras regionais instaladas em quase todos os estados do País. O objetivo da companhia é reforçar o posicionamento de ser uma empresa de porte nacional com atuação regional e próxima aos seus revendedores.
De acordo com o presidente da ALE, Marcelo Alecrim, a filiação à Brasilcom representa o retorno da companhia à suas origens, uma vez que a empresa foi criada a partir da união de duas distribuidoras regionais: a potiguar SAT e a mineira ALE. "Essa decisão coincide com o momento em que estamos desenvolvendo um novo plano de crescimento, visando acelerar nossa expansão nos próximos anos, sempre ao lado dos nossos revendedores. Estamos também levando para a Brasilcom a experiência que construímos ao longo de mais de 20 anos de atividades e o reconhecimento nacional da marca ALE", declara.
Alecrim reforça que, assim como o Sindicom (Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes) e a ALE, a Brasilcom compartilha dos mesmos princípios de respeito à legislação, proteção ao meio ambiente, combate à sonegação fiscal, à adulteração de combustíveis, entre outras fraudes.
"A temática da saúde e segurança dos colaboradores, e o respeito aos clientes e consumidores também continuam norteando nossa atuação. A filiação à Brasilcom respalda o objetivo de buscarmos melhorias para o nosso setor e continuar oferecendo excelentes serviços aos nossos revendedores e também aos consumidores finais", acrescenta o presidente da ALE.
Para o diretor institucional da Brasilcom, Sérgio Massillon, a filiação da ALE à entidade amplia de forma significativa a representatividade da associação, que, "já reconhecida no mercado como importante porta-voz das empresas regionais, passa a ter uma associada de presença nacional". Ele ressalta que, assim como as demais afiliadas, a ALE faz parte da parcela das empresas de distribuição de combustíveis que se preocupam com a qualidade de seus produtos e serviços, com o comportamento ético e responsável de seus colaboradores e representantes, e também lutam para preservar um mercado competitivo, transparente e cumpridor das obrigações regulatórias, tributárias e legais.
"A vinda da ALE para a Brasilcom traz, para o conjunto das associadas, uma importante contribuição, pois, pela dimensão que ocupa no cenário de distribuição de combustíveis no Brasil, pela sua organização profissional e competente, certamente vai somar muito aos esforços das demais associadas para, sempre, caminharmos no sentido de ter um mercado livre de empresas de fachada, sem compromisso com a qualidade de seus produtos e do cumprimento das leis", afirma Massillon.
Com sede no Rio de Janeiro, a Brasilcom foi fundada em 1994 e possui forte atuação na defesa do setor de combustíveis. Durante os 23 anos de atividade, a associação esteve à frente de várias propostas para melhorias do mercado e contribuiu com ideias em diferentes áreas, como abastecimento, biocombustíveis, exploração e produção, fiscalização, gás natural, qualidade e segurança operacional.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia