Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

aviação

Notícia da edição impressa de 09/11/2017. Alterada em 08/11 às 21h10min

Sem Congonhas, novas concessões poderão ter Santos Dumont

Leilão do terminal carioca já havia sido cogitado em planos anteriores do governo

Leilão do terminal carioca já havia sido cogitado em planos anteriores do governo


GENILSON ARAÚJO/PARCEIRO/AGÊNCIA GLOBO/JC
Com a retirada de Congonhas do programa de concessões, o governo pretende discutir a inclusão ou não de outros aeroportos na lista, informam fontes. É possível que seja retomado o plano de conceder Santos Dumont (RJ). E há, também, estudos para leiloar, em um só bloco, o terminal de Manaus e os aeroportos regionais do Amazonas.
A concessão do Santos Dumont havia sido proposta pelo Ministério dos Transportes em agosto. Porém a ideia acabou sendo derrotada pela área econômica, que preferia entregar Congonhas à iniciativa privada, assegurando mais receitas com a taxa de outorga.
As receitas com o leilão dos aeroportos na carteira do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) só deverão ingressar nos cofres públicos em 2019. Esse argumento convenceu a área econômica a abrir mão da concessão de Congonhas. O preço mínimo estimado para o aeroporto paulista era de R$ 6 bilhões.
Atualmente, há 13 aeroportos listados na carteira do PPI para serem concedidos. Na região Sudeste, estão Vitória e Macaé (RJ). Outro conjunto está em Mato Grosso: Cuiabá, Rondonópolis, Sinop, Alta Floresta e Garças. E um grande bloco no Nordeste: Recife, Juazeiro do Norte (CE), João Pessoa, Campina Grande (PB), Aracaju e Maceió.
Os estudos econômicos, técnicos e ambientais necessários para o embasamento dessas concessões ainda serão contratados pelo governo. Segundo um técnico que participou de eventos nos quais o governo apresentou o programa de concessões no exterior, esses blocos de aeroportos despertaram bastante interesse dos investidores. Alguns dos prováveis interessados no negócio o consideraram, inclusive, mais interessantes do que o terminal de Congonhas. Isso porque o aeroporto paulista envolve riscos extras, pelo fato de estar localizado no Centro da capital de São Paulo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia