Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 05 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR
Notícia da edição impressa de 06/11/2017. Alterada em 03/11 às 18h16min

Identificação étnica em marcha

Estudo do Google BrandLad revela crescimento de 232% na busca por cabelos cacheados em 2016 ante o ano anterior

Estudo do Google BrandLad revela crescimento de 232% na busca por cabelos cacheados em 2016 ante o ano anterior


/MARLON LAURENCIO/URBAN PROJECT/DIVULGAÇÃO/JC
Camila Silva
"Você tem orgulho do seu cabelo afro, crespo, cacheado, raspado, trançado? Acredita que ele é símbolo de resistência? Junte-se a nós." Assim, as organizadoras da Marcha do Orgulho Crespo do Rio Grande do Sul convidam as pessoas para participarem da terceira edição do evento. A iniciativa nasceu em 2015, quando Otunolá Débora, Iris Nunes e Suellen Rodrigues organizaram o evento que levou as gaúchas às ruas para celebrar a diversidade e desconstruir patrões estéticos sociais.
Em 2016, pela primeira vez, as buscas no Google por cabelos cacheados superou a procura por cabelos lisos em relação ao ano anterior. Conduzido pelo Google BrandLad, o estudo revelou crescimento de 232% na pesquisa em relação ao mesmo período do ano anterior. Seguindo a mesma tendência, o interesse por cabelos afros subiu 309% nos últimos anos.
De acordo com os apontamentos do estudo do Google BrandLad, é possível observar que as mudanças nos padrões estéticos sociais e o aumento pelo interesse da população brasileira pelo uso de cabelos cacheados e penteados afros estão diretamente ligados aos projetos sociais voltados para o empoderamento da população negra, e estimular a valorização da identidade étnica racial é um dos principais objetivos desses grupos.
A Marcha do Orgulho Crespo do Rio Grande do Sul busca incentivar a participação política e ativista de pessoas que utilizam sua estética em prol de um objetivo social em comum, fortalecendo a identidade e a autoestima de pessoas que, diariamente, lidam com o racismo, o machismo e a discriminação. As crianças são fundamentais nesse processo, de acordo com as idealizadoras do projeto, que consideram indispensável destacar a importância sobre a construção da identidade étnico-racial ainda na infância. De acordo com elas, acredita-se que, na maioria das vezes, essa construção está caracterizada pela valorização da estética negra.
Segundo Monique Machado - estudante de Psicologia do Centro Universitário Ritter dos Reis e que, neste ano, se uniu ao grupo para realizar a terceira edição da marcha -, é indispensável fomentar valores que incluam respeito à diversidade da população negra. Atualmente, Monique é responsável pelo gerenciamento das redes sociais da marcha. Ao todo, a página do Facebook já conta mais de 2 mil curtidas. Apesar de o evento ocorrer apenas uma vez ao ano, o trabalho de divulgação do projeto nas redes sociais é constante. Em média, por dia, são realizadas quatro postagens relacionadas à estética da população negra e racismo, entre outros temas. "Marcharemos com determinação até o dia em que não seja mais necessário ir às ruas para sermos reconhecidos e respeitados por quem e como somos", destaca.
Mais do que valorizar os cabelos crespos e cacheados, o grupo visa diminuir os efeitos produzidos pelo preconceito racial na vida de mulheres e homens negros, e também protesta contra o machismo. Em parceria com o grupo Gurias Crespas & Cacheadas, a marcha realizou, na Casa de Cultura Mario Quintana, a quarta edição do projeto Através do Espelho. O encontro ocorreu em setembro, e uma roda de conversa com influenciadoras digitais negras discutiu a forma como as participantes se enxergavam ao se olharem no espelho.
O evento foi uma prévia do que ocorrerá na terceira edição da Marcha do Orgulho Crespo do Rio Grande do Sul. O evento ocorrerá no mês de novembro, escolhido por ser conhecido mundialmente como mês da consciência negra. Com duração de nove horas, a programação contará com a participação de referências do ativismo gaúcho. O evento é gratuito e, segundo Monique, é possível se tornar colaborador do projeto. Para isso, é necessário entrar em contato com o comitê de organização do evento pelo e-mail orgulhocrespo.rs@gmail.com.
A Marcha do Orgulho Crespo é vinculada ao movimento #OrgulhoCrespo, que nasceu em 2015, de forma independente e colaborativa. A cidade de São Paulo foi a primeira a receber a marcha, quando milhares de paulistas foram às ruas celebrar o orgulho crespo. À frente do projeto estão a jornalista Neomisia Silvestre, a estudante Thaiane Almeida e a especialista em marketing digital Nanda Cury.
Aos poucos, a iniciativa foi se espalhando para outras partes do País e, atualmente, está presente em mais de sete estados brasileiros: Minas Gerais, Bahia, Goiás, Paraná, Maranhão, Espírito Santo e Rio Grande do Sul. Atualmente, o #OrgulhoCrespo é composto por diversas articuladoras, dessa forma, o grupo ampliou suas ações a partir da realização de oficinas, debates e afroempreedendorismo.

Serviço

  • Quando: 15 de novembro
  • Onde: Largo Expedicionário do Parque Farroupilha (Redenção)
  • Horário: das 14h às 23h
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia