Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 08 de outubro de 2017. Atualizado às 22h30.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 09/10/2017. Alterada em 08/10 às 19h41min

Revitalização prioritária

Luiz Carlos Camargo
Há muito tempo, Porto Alegre carece de ações consistentes para promover o seu desenvolvimento. Fruto deste descaso, apresenta taxa de crescimento econômico insuficiente para o atendimento das necessidades de emprego e renda de sua população.
O setor industrial praticamente desapareceu na cidade, e a construção civil - o último segmento que remanesce - tem seu desempenho gravemente afetado pela morosidade da prefeitura na aprovação dos licenciamentos para novos empreendimentos.
Como reflexo da estagnação, ocorre a redução de postos de trabalho bem como, em consequência, a marginalização e a violência urbana em níveis sem precedentes. Não que não tenhamos potencialidades para reverter este quadro.
Um exemplo é o 4º Distrito, que, pela sua privilegiada localização, oferece fortes atrativos para acolher investimentos produtivos.
Não por acaso, a região foi objeto de elaboração do Projeto 4D, focado na sua revitalização e reconversão urbana. O qualificado estudo identificou inúmeras oportunidades para empreendedores nacionais e do exterior na região.
Em tal contexto, nossa entidade congratula-se com a Câmara Municipal pela instalação da Frente Parlamentar em Defesa da Continuidade do Projeto 4D, numa iniciativa liderada pelo vereador Mauro Zacher (PDT).
A ação do Legislativo haverá de resgatar tão importante projeto e contribuir para que sejam criadas as condições necessárias à sua efetiva implementação. Os benefícios daí advindos não se limitarão ao 4º Distrito, pois o Projeto 4D poderá servir de modelo para outras regiões da cidade no futuro. Afinal, ainda que tardiamente, Porto Alegre precisa reagir de forma proativa a décadas de estagnação.
Presidente da Associação das Empresas dos Bairros Humaitá/Navegantes
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia