Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 11 de outubro de 2017. Atualizado às 13h31.

Jornal do Comércio

Internacional

CORRIGIR

Espanha

Alterada em 11/10 às 13h33min

Rajoy rejeita ofertas de mediação para crise com Catalunha e pede respeito à lei

'Não há mediação possível entre a lei democrática e a desobediência e a ilegalidade', disse premiê

'Não há mediação possível entre a lei democrática e a desobediência e a ilegalidade', disse premiê


JAVIER SORIANO/AFP/JC
O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, rejeitou as ofertas de mediação sobre a crise com a Catalunha e pediu respeito à lei espanhola, em discurso no Parlamento do país um dia após o presidente regional da Catalunha, Carles Puigdemont, ter assinado um documento de declaração de independência da Espanha.
Embora tenha agradecido pelas ofertas de mediação, Rajoy afirmou que "não há mediação possível entre a lei democrática e a desobediência e a ilegalidade". Puigdemont afirmou ontem que deve proceder com a secessão, mas suspendeu o resultado plebiscito que garantiu vitória ao sim pela independência por algumas semanas, para negociar com Madri.
Segundo Rajoy, nenhum país apoia os esforços da Catalunha em busca da independência e que ninguém deve ter "orgulho" do plebiscito ou da imagem que ele criou. O primeiro-ministro espanhol encerrou seu discurso pedindo para que todos os cidadãos "coloquem um fim à essa divisão com serenidade, prudência e com o objetivo final de recuperar a coexistência".
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia