Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de outubro de 2017. Atualizado às 23h31.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Minas Gerais

Notícia da edição impressa de 11/10/2017. Alterada em 10/10 às 20h00min

União libera R$ 5 milhões para auxílio a vítimas de incêndio

O Ministério da Saúde liberou R$ 5 milhões para reforçar a assistência às vítimas do incêndio na creche Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente de Janaúba, em Minas Gerais. Desse total, o município receberá R$ 1 milhão. Outros R$ 2 milhões vão para o Hospital Pronto Socorro João XXIII, referência no tratamento de queimados em Belo Horizonte, que recebeu muitos feridos no incêndio. A Santa Casa de Montes Claros, que também está atendendo às vítimas do incêndio receberá R$ 2 milhões de reforço para compra de equipamentos, medicamentos e outros insumos usados no tratamento a queimados.
O secretário de Atenção à Saúde do Ministério, Francisco Figueiredo, esteve em Minas Gerais e manteve contato direto com as unidades hospitalares que estão fazendo o atendimento às vítimas em Belo Horizonte e Montes Claros e com a Secretaria Estadual da Saúde. Medicamentos e materiais estão sendo providenciados para assistência às vítimas. A equipe de saúde mental do Ministério da Saúde também foi acionada para oferecer apoio psicossocial e um plano de apoio às famílias. 
O País tem se mobilizado para ajudar os sobreviventes da tragédia, que deixou 40 feridos e 11 mortos, incluindo o causador do incêndio. Ainda há 23 pessoas internadas. O Banco de Pele da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre enviou, nesta terça-feira, a primeira remessa de tecido humano para ser utilizado em um dos feridos. O receptor será uma criança de quatros anos que está com 70% do corpo queimado. Outros envios poderão ser feitos conforme a estabilização dos demais pacientes. "O transplante poderá aumentar as chances de recuperação e proporcionar uma qualidade de vida melhor aos feridos nesta tragédia", explica o médico Eduardo Chem, diretor do Banco de Pele.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia