Camila Farani participou da primeira edição do Canoas Startup Show Camila Farani participou da primeira edição do Canoas Startup Show Foto: /Luciele Oliveira/Divulgação/JC

'A negociação tem de ser boa para ambos', entrevista exclusiva com Camila farani

Camila Farani é uma das sharks do Shark Tank Brasil (Sony)

Camila Farani participou, no dia 26 de outubro, do Canoas Startup Show, evento promovido na Universidade La Salle, em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Jovem do município. A empreendedora é investidora do programa Shark Tank Brasil, da Sony; e, nesta entrevista exclusiva, fala sobre empreendedorismo e seu papel neste cenário. 
GeraçãoE - O que falou na sua palestra?
Camila Farani - Falei, basicamente, sobre como vencer os tubarões. O que isso significa? Menciono estratégias de negociação e, junto disso, como obter um investimento. Claro que isso não é uma regra matemática, que faz e consegue. Mas dou 80% de um bom caminho, de uma boa resposta, para conseguir chegar até lá.
GE - Pode explicar como funciona?
Camila - Falo muito sobre newgotiation, que é um novo conceito que a Universidade de Harvard trouxe. Fiz um curso para poder trazer esses elementos de negociação e trazer que, cada vez mais, uma boa negociação é boa para ambos. Eu uso um case do Shark Tank Brasil, que eu faço parte, justamente para poder ilustrar isso. A frase "negociação tem de ser boa para ambas as partes" pode soar como um clichê, mas a gente vive uma etapa colaborativa, e as pessoas precisam entender o que é bom para ambas.
GE - Como entende teu papel como mulher, participante de um programa de televisão que incentiva o empreendedorismo?
Camila - Me sinto realizada e responsável, cada vez mais. Principalmente no nosso País, embora a gente viva um momento economicamente e politicamente, de uma certa forma, desfavorável. Mas onde há crise, há oportunidade. O meu papel é formar novos empreendedores e empreendedoras. E uso o empreendedorismo para que eu toque essas pessoas e faça com que elas consigam empreender de fato e transformar a vida delas.
GE - O Shark Tank está sendo gravado no momento?
Camila - A gente filmou a segunda temporada, que foi veiculada. Ela teve um aumento de mais de 100% em relação à audiência da primeira. Então podemos considerar o Shark Tank um sucesso no Brasil em termos de espectadores. Tivemos mais de 30 milhões de espectadores entre a primeira e a segunda temporada. Sem dúvida, o Shark Tank vem modificando o Brasil e a vida das pessoas, que querem cada vez mais se tornar autoras de suas próprias vidas. Possivelmente, a próxima temporada deve ser no ano que vem.
GE - Em quantas empresas você investiu?
Camila - Eu investi em oito. No Shark Tank, a gente faz um acordo de compromisso no ar. Você analisa uma startup em 40 minutos e depois vai para a prática. Via de regra, invisto em boa parte das startups. É a forma como eu e os outros sharks conseguimos contribuir para o desenvolvimento do nosso País e emprestar um pouco da nossa expertise, seja no mundo dos negócios ou no mundo do investimento-anjo. Então, sem dúvida nenhuma, a gente vive um momento muito especial para o empreendedorismo brasileiro.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio