Porto Alegre, sexta-feira, 06 de outubro de 2017. Atualizado às 21h06.

Jornal do Comércio

Galeria de imagens

Nuzman é preso suspeito de comprar votos para sediar a Olimpíadas Rio 2016

A Polícia Federal (PF) prendeu, na manhã da última quinta-feira (5), o presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Carlos Arthur Nuzman, e Leonardo Gryner, seu braço direito no comitê organizador da Rio-2016. Os dois são suspeitos de atuarem na compra de votos para a escolha da cidade para sediar os Jogos Olímpicos. Na história dos Jogos Olímpicos de Verão, Nuzman foi o único presidente do comitê organizador a acumular o cargo de mandatário do comitê olímpico do país-sede. A ação é um desdobramento da Operação Unfair Play, que investiga a compra do voto do senegalês Lamine Diack por US$ 2 milhões. Nuzman é investigado sob suspeita de ter feito a ligação entre o esquema de corrupção do governo Sérgio Cabral (PMDB) e os membros do Comitê Olímpico Internacional (COI).
 

FOTO MAURO PIMENTEL/AFP/JC