Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de outubro de 2017. Atualizado às 19h21.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

campeonato brasileiro

Alterada em 12/10 às 19h22min

Santos só empata com a Ponte Preta em Campinas e fica mais longe do Corinthians

O Santos ficou mais distante do seu objetivo de efetivamente brigar com o Corinthians pelo título do Campeonato Brasileiro. Nesta quinta-feira (12), em partida válida pela 27ª rodada, o time não foi além de um empate por 1 a 1 com a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, em resultado ruim para ambos os times.
Afinal, com a igualdade, o Santos chegou aos 48 pontos, em segundo lugar e a dez do líder Corinthians. Já a Ponte chegou aos 32, na 14ª posição, mas com apenas um ponto acima da zona de rebaixamento e com um a mais do que os seus principais rivais na luta pelo descenso.
O Santos voltará a jogar na próxima segunda-feira, quando receberá o Vitória, no Pacaembu, pela 28ª rodada, na qual a Ponte já atuou. Por isso, só entrará em campo novamente em 19 de outubro, quando visitará o Palmeiras, também no Pacaembu.
Em Campinas, o Santos teve atuação irregular, arrancando o empate após ser dominado em quase todo o primeiro tempo, mas não soube aproveitar a superioridade técnica na segunda etapa, quando controlou o jogo, e a numérica no final do jogo, após a expulsão de Fernando Bob, diante de um adversário aguerrido e que foi impulsionado pelo seu melhor público em casa nesta edição do Brasileirão - 13.983 presentes.
Ponte e Santos fizeram um duelo quente já nos minutos iniciais no Moisés Lucarelli, com entradas duras e dividas fortes. E o abafa inicial rendeu o primeiro gol para o time da casa em uma jogada que provocou muitas reclamações dos oponentes. Aos quatro minutos, em cobrança de falta, Danilo cruzou, a bola bateu na mão direita de Lucca, Vanderlei espalmou mal e deixou a bola livre para Naldo empurrá-la às redes.
Em vantagem, a Ponte Preta exibia mais segurança do que se imaginava de um time que luta contra o rebaixamento, com forte marcação. Isso acabava forçando o Santos a apostar excessivamente nas ligações diretas. Ainda assim, o time teve ótima chance para marcar aos 15 minutos, após cobrança de escanteio de Daniel Guedes e cabeceio de Lucas Veríssimo, que acabou sendo defendido por Aranha. Curiosamente, no minuto anterior, o goleiro, que teve passagem pelo Santos, havia se atrapalhado todo após uma dividida com Bruno Henrique, cedendo escanteio em um lance fácil. Mas se reabilitou rapidamente.
Lento, o Santos pouco ameaçava a Ponte e via Bruno Henrique, o seu desafogo em partidas anteriores, parar na marcação adversária. Restavam, então, ao time alguns lampejos de Lucas Lima e Matheus Jesus para ser efetivo, como em um chute de fora da área do volante defendido por Aranha.
Já no final do primeiro tempo, dois lances em sequência mudaram o rumo do duelo. Em um contra-ataque, aos 43 minutos, Lucca perdeu chance incrível, livre, após receber cruzamento de Nino Paraíba, finalizando por cima do gol. O Santos saiu para o ataque e contou com grande jogada de Bruno Henrique, que cruzou para Ricardo Oliveira, de cabeça, marcar aos 44 e levar o placar de 1 a 1 para o intervalo.
O empate parece ter empolgado o Santos, que assumiu o controle do jogo no segundo tempo, acuando a Ponte Preta no campo de defesa. E esteve próximo da virada aos 13 minutos, quando Lucas Lima cruzou e Copete ajeitou para Bruno Henrique, que cabeceou para Aranha fazer difícil defesa.
O sufoco imposto pelo Santos levou o técnico Eduardo Baptista a agir. Ele realizou três alterações na Ponte Preta e o time conseguiu avançar para o campo de ataque. Foi o suficiente para o time parar de levar sustos e até chegar com perigo em algumas jogadas pelo lado direito da defesa adversária.
Já no final do segundo tempo, Fernando Bob foi expulso, deixando a Ponte com um jogador a menos em campo. Ainda que tenha ameaçado em uma finalização de fora da área de Lucca, a equipe precisou recuar e quase foi vazada nos instantes finais. Lucas Lima fez jogada individual e cruzou para Bruno Henrique, que cabeceou para fora. A partida, assim, terminou empatada em 1 a 1 após um segundo tempo moroso.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia