Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de outubro de 2017. Atualizado às 22h41.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

eliminatórias da copa

Alterada em 10/10 às 22h41min

Messi marca três, Argentina impede vexame e garante vaga na Copa do Mundo

Lionel Messi foi o salvador da vaga direta argentina ao Mundial

Lionel Messi foi o salvador da vaga direta argentina ao Mundial


RODRIGO BUENDIA/AFP/JC
Messi pode não ser na Argentina o mesmo do Barcelona, mas, ao menos nesta terça-feira, mostrou com a camisa azul e branca por que é considerado um dos melhores da história. Sob a pressão de poder protagonizar um dos maiores vexames do futebol do país, chamou a responsabilidade mesmo depois do surpreendente gol relâmpago do Equador e comandou a vitória por 3 a 1, em Quito, ao marcar os três gols salvadores que garantiram o passaporte argentino para a Copa do Mundo.
O craque evitou que o drama com o gol de Romario Ibarra logo no início da partida se transformasse em tragédia. Mesmo com uma Argentina novamente apática e sofrendo com as escolhas erradas do técnico Jorge Sampaoli, assumiu o papel de líder. Jogou praticamente sozinho, mas com tanta qualidade técnica, era o suficiente para superar um Equador em frangalhos.
Os três gols de Messi e a vitória na altitude de Quito levaram a Argentina a 28 pontos, ficando com a terceira vaga direta da América do Sul para a Copa da Rússia. Para o craque, o desempenho pode ter significado ainda a afirmação total com a camisa argentina, após tantas críticas e questionamentos de seus compatriotas.
Além da Argentina, já estão garantidos na Copa: o Brasil, o Uruguai e a Colômbia na América do Sul; a Nigéria e o Egito, na África; Irã, Japão, Coreia do Sul e Arábia Saudita, na Ásia; Bélgica, Espanha, Alemanha, Inglaterra, França, Islândia, Portugal, Sérvia e Polônia, na Europa; e México e Costa Rica, na Concacaf. País-sede, a Rússia também está garantida.
Só que bem ao estilo argentino, a vaga não veio sem drama. Não bastasse a péssima campanha nas Eliminatórias, no último episódio desta trajetória, precisando do triunfo para não cair precocemente, a seleção foi surpreendida segundos após a bola rolar. Mascherano não conseguiu afastar o perigo, Mercado cochilou e o ataque equatoriano aproveitou. Romario Ibarra tabelou de cabeça com Ordoñez e tocou na saída de Romero para abrir o placar.
O golpe deixou a Argentina atônita, quase entregue. Se tivesse forçado, o Equador poderia ter até feito o segundo, tamanha a confusão no sistema defensivo adversário, que proporcionou outra ótima chance perdida por Ordoñez logo aos cinco minutos. Desta vez, o ataque equatoriano desperdiçou.
Só que antes que a tragédia fosse estabelecida, Messi tratou de resolver. Aos 11 minutos, ele arrancou pela esquerda, tabelou com Di María e apareceu sozinho dentro da área. Com a calma que lhe é peculiar, finalizou por baixo do goleiro para empatar.
O ataque da Argentina começava a encontrar muito espaço pela esquerda, e nos pés de Messi, isso seria fatal. Aos 15, ele recebeu com liberdade e bateu em cima de Banguera. Mas aos 19, aproveitou cochilo de Aimar na saída, roubou a bola e encheu o pé da entrada da área, no ângulo do goleiro, que nada pôde fazer
Os gols de Messi davam à Argentina o resultado necessário, mas não cessaram os erros defensivos. Mascherano, em dia irreconhecível, Otamendi e Mercado acumulavam trapalhadas no setor e assustavam o já desesperado torcedor visitante. No início da segunda etapa, Mercado chegou a escorregar a metros do gol de Romero, mas Romario Ibara foi travado na hora de bater.
Foi então que a genialidade de Messi voltou a resolver. Aos 17 minutos, o craque recebeu com liberdade na intermediária, arriscou bem a seu estilo, cortou o zagueiro e chutou colocado da entrada da área, por cobertura. Um golaço para tranquilizar todo o país e dar ao craque do Barcelona a chance de brigar pelo inédito título da Copa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia