Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de outubro de 2017. Atualizado às 23h35.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Logística

Notícia da edição impressa de 11/10/2017. Alterada em 10/10 às 23h32min

Fluxo de veículos nas estradas com pedágio aumenta 2,2%

Melhora das finanças das famílias deve sustentar trajetória de alta

Melhora das finanças das famílias deve sustentar trajetória de alta


MARCO QUINTANA/JC/MARCO QUINTANA/JC
O fluxo de veículos nas estradas pedagiadas do País avançou em setembro 2,2% sobre agosto, descontados os efeitos sazonais. É o que mostra o índice que calcula as passagens de veículos pelas praças de pedágios nas estradas, calculado pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) em parceria com a Tendências Consultoria Integrada.
Em setembro, os registros de leves que passaram pelas praças de pedágios cresceram 3,3% em relação a agosto. Na mesma base de comparação, a circulação dos pesados avançou 0,7%. Nos dois casos, os dados estão livres dos efeitos sazonais."Isso representa o terceiro registro positivo nessa métrica trimestral", considera a diretora da Tendências, Alessandra Ribeiro.
A melhora do ambiente macroeconômico em curso deve sustentar a trajetória de ganhos do índice total ao longo do último semestre. Sobre o fluxo de veículos leves, Alessandra observa que "com o resultado, o indicador fechou o terceiro trimestre com alta de 0,8%, intensificando a elevação do trimestre de 0,1%, ainda na série dessazonalizada. Trata-se do quarto crescimento consecutivo nessa base de comparação, o que evidencia a trajetória de gradual recuperação do indicador ao longo de 2017".
A economista ainda diz que "a melhora da situação financeira das famílias deve sustentar a trajetória positiva do indicador no último trimestre do ano: o quadro inflacionário benigno que favorece o aumento do poder de compra dos consumidores, a redução do nível de endividamento das pessoas físicas e a recente ampliação das vagas de trabalho, contribuem para sustentar o processo em curso de aumento do consumo das famílias".

Produção industrial puxa movimento de pesados

Na análise da ABCR em parceria com a Tendências Consultoria Integrada sobre o fluxo de veículos pesados em setembro, a economista Alessandra Ribeiro ressalta se tratar do terceiro resultado positivo na métrica trimestral dessazonalizada, evidenciando a trajetória de moderada reação em curso no ano, e a sequência positiva do fluxo de pesados reflete o aumento da produção industrial no ano.
O quadro prospectivo benigno para a atividade industrial - como sugere a normalização do nível de estoques, o crescimento do emprego e o aumento da demanda doméstica - contribui para que o fluxo de pesados continue em trajetória de moderada elevação no último trimestre do ano.
Na comparação de setembro deste ano sobre o mesmo do ano passado, o fluxo total de veículos pelas estradas pedagiadas cresceu 6,4%, com a movimentação dos leves tendo crescido 7,2% e a dos pesados, 4,3%. Na comparação do acumulado deste ano até setembro sobre o mesmo período do ano passado, o Índice ABCR relata um crescimento de 1,4% no fluxo total, expansão de 1,9% na circulação dos leves e estabilidade dos pesados.
No acumulado dos últimos 12 meses encerrados em setembro, o fluxo total ficou praticamente estável em relação os 12 meses encerrados em setembro de 2016, com uma ligeira queda de 0,1%. Nesta mesma base de comparação, o movimento dos leves avançou 0,7% e a dos pesados recuou 1,8%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia