Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de outubro de 2017. Atualizado às 13h31.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Aeroportos

10/10/2017 - 13h07min. Alterada em 10/10 às 13h35min

Anac garante contrato de cessão de área em Viracopos, mesmo com fim da concessão

ABV anunciou, no final de julho passado, que devolveria a concessão ao governo para nova licitação

ABV anunciou, no final de julho passado, que devolveria a concessão ao governo para nova licitação


BRUNA OLIVEIRA/ESPECIAL/JC
Portaria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) publicada nesta terça-feira (10), no Diário Oficial da União garante a manutenção do contrato de cessão de uma área de 120 mil metros quadrados do aeroporto de Viracopos para a CAM Viracopos Participações Ltda, até 11 de julho de 2042, mesmo se a atual concessionária, a Aeroportos Brasil Viracopos (ABV), deixar de administrar o terminal.
Sem condições de pagar suas contas, a ABV anunciou, no final de julho passado, que devolveria a concessão ao governo para nova licitação. O processo ainda está inconcluso e o governo trabalha num decreto que regulamentará as devoluções de concessão.
A área em questão será destinada à instalação de um centro atacadista de moda, com investimentos de R$ 200 milhões, segundo informações publicadas no site da ABV. O contrato entre a ABV e a CAM Viracopos Participações foi assinado em maio deste ano.
A Portaria 3.380 estabelece condições para que o contrato da área seja mantido. A primeira delas é que as condições do contrato não podem ser diferentes para os períodos anterior e posterior à extinção da atual concessão do aeroporto. Também está proibida a extensão do prazo da cessão da área. Além disso, a CAM não poderá fazer pagamentos antecipados. O contrato de cessão de área terá de ser adaptado para conter uma cláusula para o caso de a concessão do aeroporto ser extinta.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia