Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 05 de outubro de 2017. Atualizado às 22h00.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Artes Cênicas

Notícia da edição impressa de 06/10/2017. Alterada em 05/10 às 17h11min

Peça realiza releitura do espetáculo Gurizada Medonha no Renascença

Cia Halarde de Teatro remonta texto em apresentação

Cia Halarde de Teatro remonta texto em apresentação


FREDY VIEIRA/JC
Celebrando 20 anos da primeira montagem, a Cia. Halarde de Teatro realiza uma releitura contemporânea do espetáculo infantil Gurizada Medonha, uma superaventura (1997), com direção de Paulo Guerra e texto original do jornalista Helio Barcellos Jr. (1964-2011), que trabalhou por mais de 10 anos no Jornal do Comércio. A montagem ocorre sábados e domingos, às 16h, no Teatro Renascença (Érico Veríssimo, 307).
A história acontece em um edifício. Os protagonistas são seis crianças, entre oito e 11 anos de idade, que costumam realizar suas brincadeiras no playground do prédio. Os meninos pensam que são mais inteligentes, mais espertos e mais maduros do que as meninas. Mas elas acham os meninos bobos. A confusão já se inicia em uma simples brincadeira de esconde-esconde.
"Vinte anos se passaram, e as crianças seguem brincando. Muitas brincadeiras, inclusive, ainda são as mesmas. No entanto as crianças de hoje são mais conectadas e informadas, em 1997 ainda era o início da tecnologia. Além disso, as discussões de gêneros estão muito mais latentes, então tivemos que atualizar algumas coisas para que o espetáculo dialogue com as crianças de hoje", explica Paulo Guerra. 
Os ingressos custam R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (crianças e jovens até 15 anos matriculados, estudantes, idosos, professores, classe teatral e municipários). O público poderá adquirir um livreto com a publicação original da peça, escrita em 1997 pelo autor.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia