Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 05 de outubro de 2017. Atualizado às 00h01.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 05/10/2017. Alterada em 04/10 às 19h43min

Frases e personagens

"A expectativa da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS) é de que, nas lojas de brinquedos, em outubro, o volume de vendas registre crescimento de aproximadamente 6% diante do registrado no mesmo período do ano passado, com o tíquete médio estimado em R$ 100,00." Vitor Augusto Koch, presidente da FCDL-RS.
"É perceptível para os lojistas - especialmente dos pequenos e médios municípios do Rio Grande do Sul - que o dinheiro volta a circular com maior intensidade na economia, o que vem favorecendo as vendas varejistas gaúchas a partir do segundo trimestre deste ano." Também Vitor Augusto Koch.
"A situação financeira da prefeitura de Porto Alegre é muito difícil, como também a do Estado e da União. Temos que tomar atitudes agora, ou, em futuro próximo, não haverá mais condições de pagar os compromissos rotineiros." José Alfredo Parode, secretário municipal de Gestão e Planejamento de Porto Alegre.
"Uma auditoria do TCE nas contas municipais é bem-vinda. Alguns estão confundindo recursos com destinação específica, até superavitários, como os da Saúde e Previdência do município, com verbas à disposição do Executivo. Mas eles não podem ser usados fora da finalidade." Também José Alfredo Parode.
"Vamos exigir o que está escrito na Constituição, que as pequenas e micro têm direito a tratamento diferenciado; e tratamento diferenciado não é beneficiar os grandes e prejudicar os pequenos. Em 2016, as micro e pequenas não conseguiram esse tipo de desconto na discussão sobre refinanciamento, porque a área econômica disse que não poderia fazer isso." Guilherme Afif Domingos, presidente do Sebrae.
"A recessão dos últimos anos foi a maior da história, a mais longa e a mais profunda. O desajuste das contas públicas e a perda de confiança levaram à retração do investimento. O excesso de intervencionismo em setores relevantes e o uso inadequado das estatais também levaram à recessão." Henrique Meirelles, ministro da Fazenda.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia