Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 31 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

De Olho na tevê

Notícia da edição impressa de 31/10/2017. Alterada em 30/10 às 21h55min

Treino e festa na Arena

O Barcelona, na Arena, permitirá que se constate como chegou tão longe na Libertadores? Um mistério explicável: ninguém o respeitava e ele foi chegando, simplesmente isso. Na fase de grupos ganhou do Botafogo no Engenhão, depois cuidou de eliminar Palmeiras, Santos e chegou ao Grêmio. Renato teve sabedoria para enfrentar esse especialista em derrotar brasileiros. Amanhã, só não pode faltar cautela.
Vitória assim não cai do céu
Em Guayaquil, deu tudo certo para o Grêmio: a defesa do Barcelona entregou a bola a Luan, este chutou e encontrou mais ajuda no zagueiro que desviou para a rede. Depois, o milagre de Grohe e o estranho segundo gol, que resolveram o jogo. A defesa foi quase perfeita, o time, altamente combativo em todos os setores, o ataque, mortífero - com tanta ajuda do adversário, então... Tudo isso para enfatizar que, na final contra um argentino, a história será outra - e que é preferível enfrentar o grande River ao pequeno Lanús.
Futevôlei, adeus
Se o Grêmio chega à final da Libertadores o mérito é de todos. Mas Luan foi um fenômeno contra os equatorianos, acertou o time que, inteirinho, jogou bem. Outros destaques? Claro: Grohe, Geromel e Arthur - nenhum maior do que Renato, que comandou tudo isso. Um técnico que se afirma como uma completa e benfazeja surpresa. Sempre o considerei um motivador de gremistas - hoje puxo briga com quem não o reconhecer como um técnico de primeiro escalão.
Grohe: opinião de especialista
Adoro quando sou desafiado por algum leitor a emitir opinião sobre um lance - desta vez, a defesa de Marcelo Grohe contra o Barcelona. Sim, foi espetacular e prodigiosa, mas também lotérica. Nem Deus saberia com exatidão onde iria aquela bola, que se chocou contra a mão do goleiro. O que Grohe fez foi lançar-se de forma a proteger o maior espaço possível dos quase 18 m2 de goleira, como eu ou qualquer mestre da posição faria. O prodígio constituiu-se em defender um chute forte que, em tese, daquela distância seria indefensável.
Ruindade absoluta
Até uma criança de oito anos sabe: ao montar uma barreira para cobrança de falta em frente à área, tem-se que posicionar os jogadores a partir da trave, acrescentar mais um para garantir que uma bola em curva não entre, e ficar de olho no chute. O goleiro do Barcelona deve ter idade mental inferior àquela: colocou a muralha no meio, Edílson nem precisou bater com toda a força - havia um corredor aberto até a rede.
Derrota indiscutível
Contestar o quê? Nada. Reclamar? Sim, do fraco desempenho do Inter, que depois de 32 rodadas na Série B já era para ter pegado o jeitinho de enfrentar times medianos, embora espertos, como foi o Ceará. Jogam por um golzinho e se garantem lá atrás, contra um Inter que - acredite! - parece tão dependente de Damião quanto é de D'Alessandro. Venho exclamando há semanas: o clube já está na Série A, mas ano que vem a exigência será bem outra.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 31/10/2017 08h53min
CUIDADO GUTO FERREIRA OS JOGADORES VÃO TCHÊ DERRUBAR!nnAté pode ser delírio meu, mas o treinador que sempre escala os mesmos jogadores é um abençoado ou está fechado com um determinado número de atletas, e não quer abrir muito o leque de suas opções para outros nomes que não são de sua confiança. Pelo fato dele ter no time preferido problemas de lesões, cartões, expulsões ou até mesmo baixo desempenho técnico, mesmo assim não lhe encoraja para ser mais arrojado dentro do Beira-Rio lotado de torcedores que sempre querem ajudar o time. O seu mérito é que dentro do seu coração existe muito amor, mas isto poderá ser um problema por falta de conhecimento de como administrar tudo isto num clube tão imenso com o Internacional, que precisa de algo a mais de todos os envolvidos. Cuidado Guto Ferreira, os torcedores, imprensa, bloguistas, o Cuca, Levir, Carpegiani, Roger, Luxa, Dunga, Falcão, Argel, Roth e o Guardiola, estão de olho nesta tua boquinha de treinador líder da Série B. O nosso Colorado está cheinho de jogadores rejeitados e sem pontaria, para fazer muito mais GOLS e voltarmos logo à Série A. Abs. Dorian Bueno Google +Plus, POA, 31.10.2017n