Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de outubro de 2017. Atualizado às 10h51.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

De Olho na tevê

Notícia da edição impressa de 10/10/2017. Alterada em 09/10 às 21h59min

Jogo oficial, só na Copa

Nossa seleção não foi de todo mal contra a Bolívia, faltaram os gols. Hoje no último jogo oficial antes da Copa, será mais fácil: não haverá a altitude, o Chile terá que sair porque se não vencer não vai à Rússia. Daí abrirá espaços ao talento e à velocidade de Neymar, Gabriel Jesus e outros. Palpite? 3 a 1 para o Brasil. O jogo também será bom para testar o goleiro Ederson e quem mais precise de afirmação no grupo. Ah, começa às 20h30min, altere sua rotina.
Do Beira-Rio para o mundo
Escrevo antes do jogo, mas antecipadamente feliz: seja qual tenha sido o resultado, Inter e Brasil de Pelotas terão jogado para todo o Brasil, com transmissão do SporTV e direito a entrevistas ao final do jogo no prestigiado Bem, Amigos! Como os colorados, na prática, já se garantiram na série A, torço pelo Xavante, que precisa se garantir na B. Mas, antes disso, desejo que ambos façam um grande espetáculo, capaz de mostrar que o potencial de nosso futebol vai além da dupla Gre-Nal.
Campeões de público
Como faltam dois meses até o final do Brasileirão, os números ainda podem mudar muito. Hoje o Grêmio é o quarto colocado, com média de 22,400 mil torcedores na Arena, o quinto é o Bahia, com 18,925 mil. O terceiro é o Palmeiras, com 31,869 mil, o primeiro é o Corinthians, com média de 38,697 espectadores por partida. A surpresa está no segundo lugar: o maltratado São Paulo perdeu pontos a granel, não o apoio de sua torcida - 35,450 mil a cada jogo. Mais: levou ao Morumbi os quatro maiores públicos - o recorde foi de 61 mil pagantes, contra o Corinthians.
História e credibilidade
Ele não tem um terço da popularidade, por exemplo, de Galvão Bueno. Juca Kfouri é apenas muito mais importante, para o jornalismo e o futebol brasileiros. Comprei seu livro de memórias em São Paulo, e nos cinco atribulados dias que passei na megalópole achei tempo para ler quase todo o seu "Confesso que perdi". Imperdível, perdoada a redundância, pela biografia, a coragem e a retidão de caráter do autor, que narra em estilo fácil e direto episódios vividos nas copas mundiais desde 1982 e no cotidiano de um grande repórter, editor e comentarista.
Pitacos
Se o Grêmio ganhasse a Libertadores e o Brasileirão terminasse hoje, o Atlético-PR estaria na Liberta de 2018. Com apenas quatro pontos a mais do que o primeiro time fora da Z-4! *** Em 9 de outubro de 1977 - exatos 40 anos - o Corinthians quebrou seu jejum de 23 anos sem título paulista, vencendo a Ponte Preta, com 146,082 mil torcedores espremidos no Morumbi. Hoje não cabe a metade. *** Sonho com uma gigantesca goleada do Brasil no jogo que a Band anuncia, contra o sub-17 da Coreia do Norte. Será às 11h15min desta manhã e só receio o que aquele ridículo ditador mandaria fazer com seus garotos...
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 10/10/2017 10h30min
O INTERNACIONAL PODERIA TER FEITO MAIS GOLS NO BRASIL DE PELOTAS !!!nnAinda bem que o Leandro Damião soube usar com inteligência a sua cabeça, e fazer o GOLZINHO CHORADO para mais uma VITÓRIA. O Guto Ferreira juntamente com a sua comissão técnica e jogadores chutadores do Colorado, poderiam trocar as goleiras de treino do Beira-Rio, para o tamanho das de futsal do Gigantinho. Com certeza depois na hora do jogo dentro do campo, os jogadores encontrariam na sua frente às goleiras com tamanho oficial, e as bolas chutadas entrariam no Gol com maior facilidade. Eu fico louco para entrar em campo e gritar dentro das orelhas do Pottker, Nico López, Edenilson, Charles e Winck, algo tipo, não chuta, não chuta, passa a BOLA. Com certeza eles poderiam através deste gesto de humildade, bondade, ver um jogador do mesmo time em melhor condição para definir a jogada. Todo jogador que tiver uma faísca de raciocínio para olhar rapidamente para o lado antes de chutar sem direção, seria o craque do jogo com louvor. O time faria muito mais GOLSSSS e o jogo ficaria muito mais leve quem sabe, menos tenso até o apito final. Os caras já jogaram juntos muitas partidas da Série B, e na hora AGA, deixam ser consumidos pelo seu egoísmo e desperdício, que para o meu gosto de torcedor é ruim de ver. Eles precisam treinar seus fortíssimos chutes, dentro de uma caixinha de fósforo, para depois acertar a pontaria fazendo mais GOLS para o Internacional. Abs. Dorian Bueno, Google+Plus, POA, 10.10.2017n