Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 15 de outubro de 2017. Atualizado às 13h16.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

artes cênicas

Notícia da edição impressa de 13/10/2017. Alterada em 15/10 às 13h20min

Teatro Arena comemora 50 anos com programação diversificada

Clovis Rocha comanda o Teatro de Arena, que completa 50 anos

Clovis Rocha comanda o Teatro de Arena, que completa 50 anos


CLAITON DORNELLES /JC
Michele Rolim
Conhecido como um espaço de resistência política, o Teatro de Arena celebra os 50 anos. As comemorações estão ocorrendo desde 15 de setembro, com uma programação diversificada que segue até 17 de outubro, exatamente o dia que o espaço completa cinco décadas. O diretor do Instituto Estadual de Artes Visuais (IEACen) e responsável pelo Arena, Clovis Rocha, conversou com o Jornal do Comércio.
JC Viver: No início deste ano, Associação de Amigos do Teatro de Arena lançou a campanha no Catarse Iluminando o Arena. Com valor total de R$ 30 mil, foram arrecadados apenas R$ 1,1 mil. O que conseguiu ser feito?
Clovis Rocha: O Catarse não teve o retorno que esperávamos para fazer a reforma da parte elétrica como gostaríamos. Quanto à colocação de novas lâmpadas, conseguimos suprir as necessidades através de valores vindos da associação dos amigos. Todo o teatro passou por uma reforma: de pintura, conserto de aberturas, manutenção geral de ar-condicionado e PPCI atualizado com as novas normas. Já temos agendada a retirada do antigo ar-condicionado, para que possamos utilizar melhor o espaço, assim como sua tubulação que sempre impediu os espetáculos de conseguirem fazer uma boa iluminação no palco.
Viver: Atualmente quais são as necessidades do Teatro de Arena?
Rocha: A rede elétrica, a reforma da cabine de técnica, incluindo troca de equipamento, troca do piso da administração, digitalização do acervo do Espaço Sonia Duro - Centro de Documentação e Pesquisa em Artes Cênicas, assim como móveis para melhorar a organização do acervo, revitalização e novo designer para fachada do teatro de Arena (já estamos realizando o projeto). Faltam ainda banheiro adaptado e robô para descida proporcionando melhor acessibilidade ao teatro pela escadaria da Duque de Caxias. Mesmo assim, em fevereiro de 2018, o Teatro de Arena dará apoio a um projeto chamado Decolagem, que conta com Lei de Incentivo à Cultura e patrocínio da Oi. Através, dele receberemos a doação de equipamentos de luz e som novos para o Arena, o que mudará totalmente o tipo e qualidade de nossa caixa-preta e o atendimento aos artistas.
Viver: Qual o orçamento anual do Teatro de Arena? E quantas pessoas trabalham no local?
Rocha: Desde que assumi em agosto de 2015, tivemos trocas e adequações no pessoal, hoje trabalhamos com uma equipe que conta com cinco funcionários no setor administrativo do teatro, um técnico de luz e som, uma faxineira e dois seguranças. Conto ainda com quatro colaboradores pelo convênio com a Vara de Execução das Penas e Medidas Alternativas (Vepma) que cumprem alguns turnos no teatro. O orçamento é baseado da seguinte forma: todas as despesas de pessoal, água, luz, telefone, segurança são diretamente da Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do RS (Sedactel), proporcionando que o espaço esteja aberto e funcionando.
Viver: O edital de pesquisa e fomento às artes cênicas foi cancelado em 2016 e volta agora em 2017. Com quantas, quais montagens e valor?
Rocha: O edital não aconteceu em 2015 pois, quando assumi, buscamos fazer os acertos do prêmio do edital de 2014. Em 2016 lançamos o FAC Prêmio Arena 50 Anos, que tem a maior premiação até então (R$ 150 mil para duas pesquisas e montagens dentro do teatro). O projeto contemplado foi Bobo Caligula no valor de R$ 50 mil para pesquisa e montagem de espetáculo com temporada de 12 apresentações; e o projeto Arena Selvagem, no valor de R$ 100 mil, também para pesquisa, montagem de espetáculo com temporada de 12 apresentações no Teatro de Arena e, além disso, circulação em, pelo menos, dois municípios gaúchos.
Viver: Você assumiu o Arena em 2015 e a gestão termina em 2018. Tens como fazer um balanço até agora e do que falta fazer?
Rocha: Neste tempo em que estou à frente da direção, foi construída uma boa relação com a equipe de trabalho, artistas e público, começando por uma boa e intensa programação, como a Semana da Mulher, o Brique Cênico nas escadarias da Borges, a Semana da Dança do Teatro de Arena, Semana do Folclore e as comemorações dos 50 anos, que está agora em sua reta final. Estou fazendo o que é possível com as possibilidades do que tenho no momento, mas com ótimas perspectivas e o apoio da Sedactel, da Associação do Amigos do Teatro de Arena. O mérito é dos artistas que por aqui passaram e ainda passam. É deles o porquê do reconhecimento deste tão querido e engajado espaço cênico, como Teatro de Arena - espaço da resistência e de construção cultural.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia