Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de outubro de 2017. Atualizado às 15h41.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

responsabilidade social

Notícia da edição impressa de 09/10/2017. Alterada em 09/10 às 15h44min

Eles por elas

Corporação busca apoio para fazer um calendário que reverterá em recursos para o tratamento de pacientes

Corporação busca apoio para fazer um calendário que reverterá em recursos para o tratamento de pacientes


/MARCELO SANHUDO/DIVULGAÇÃO/JC
Camila Silva
O mês de outubro é marcado mundialmente pela cor rosa, que se tornou referência na campanha de prevenção ao câncer de mama. Apenas no ano passado, foram registrados 57.960 casos de câncer de mama no Brasil, segundo dados do Instituto do Câncer. Na região Sul, a doença atinge, em média, 64,3 pessoas a cada 100 mil habitantes, predominantemente as mulheres, que, além de lidar com o tratamento, em alguns casos, sofrem com a rejeição afetiva.
De acordo com estudos do Hospital de Câncer de Barretos (SP) e do centro oncológico norte-mericano MD Anderson Câncer Center, 40% das mulheres que estão fazendo quimioterapia ou radioterapia e que têm um relacionamento sofrem rejeição sexual ou são abandonadas pelos companheiros. Os dados chamaram a atenção dos integrantes do 8º Batalhão de Bombeiro Militar do Estado, de Cachoeirinha, a idealizar uma campanha em prol do combate ao câncer de mama.
Em uma conversa do comandante do batalhão, Daniel Moreno, com o soldado Dionis Xavier, nasceu o projeto Todos por Elas. A ideia inicial da campanha visa a encorajar os homens a lutarem ao lado de suas companheiras, esposas, mães, irmãs e amigas durante o período de tratamento. "Tínhamos vontade de realizar ações sociais, mas não sabíamos como. O nosso outubro, que agora é rosa, seria um outubro cinza", destaca o comandante. Os bombeiros gaúchos são pioneiros neste tipo de iniciativa, pois é a primeira vez que uma instituição militar apoia a luta contra o câncer de mama.
Após a idealização do projeto, os integrantes passaram a planejar ações que chamassem a atenção para a causa, a começar pela troca do tradicional uniforme por uma camiseta cor de rosa com o tradicional brasão militar acompanhado de um laço rosa - símbolo mundial da luta contra o câncer de mama. Os bombeiros gaúchos se inspiraram no Corpo de Bombeiros do Texas (Estados Unidos), que, ao receber a camisa da iniciativa, enviou um vídeo de apoio à campanha brasileira. "Iniciamos em Cachoeirinha, mas, agora, a campanha é do Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Sul, ultrapassou todas as barreiras", ressalta Moreno. Participaram das ações de visibilidade mais de 40 integrantes dos batalhões de Gravataí, Viamão, Esteio e Alvorada. Segundo eles, a ideia não é apenas apoiar a causa, mas também informar, alertar e prevenir.
Estimular os homens a darem suporte às mulheres durante o tratamento da doença é um dos principais objetivos do projeto, mas não o único. Atualmente, os bombeiros estão buscando recursos para realizar o Calendário para elas, de forma a contribuir com o fim do ciclo de tratamento das mulheres que venceram a luta contra o câncer de mama. O objetivo do calendário é arrecadar recursos para o trabalho de micropigmentação, processo que redesenha a aréola do seio - parte que costuma ser atingida por conta da cirurgia de retirada de seio, procedimento necessário para determinados casos da doença. 
Além disso, o Corpo de Bombeiros realizará, em parceria com o Instituto de Mama do Rio Grande do Sul (Imama-RS), o evento Primeiros socorros para elas. A ideia é compartilhar com o público feminino um pouco da experiência dos bombeiros. No dia, as participantes da atividade receberão orientação sobre acidentes domésticos. "As mulheres, muitas vezes, acabam realizando dupla jornada. Além de trabalhar fora, cuidam da casa e da família, o que torna a prevenção de acidentes ainda mais fundamental", alerta Moreno. Entre os palestrantes está o comandante do corpo de bombeiros de Cachoeirinha, Adelir Cemin, que, em parceria com sua equipe, irá ensinar as mulheres a evitar imprevistos e saber lidar com eles quando acontecem, como choque elétrico, fraturas, hemorragia nasal e crises de convulsão, entre outras situações
Além dos integrantes do batalhão, profissionais da área da saúde estarão presentes no evento para realizar ações voltadas à prevenção do câncer de mama, caso do médico do Núcleo de Mama do Hospital Moinhos de Ventos Luiz Antonio Abreu de Moraes Neto, especializado em mastologia pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM). As inscrições para as atividades devem ser realizadas no site www.acccachoeirinha.com.br. Os organizadores solicitam a doação de um quilo de alimento não perecível, arrecadações que serão doadas para uma instituição de caridade. 
A ação outubro rosa teve início nos Estados Unidos, onde, na década de 1990, grupos realizavam campanhas isoladas sobre o assunto. Aos poucos, a população começou a se mobilizar em prol da causa, tornando outubro o mês nacional de prevenção contra o câncer de mama no país. No Brasil, a campanha teve início em 2002, na cidade de São Paulo. Porém, somente em 2008, o movimento ganhou ainda mais força, e várias cidades brasileiras passaram a integrar a campanha.

Serviço:

  • Data: 21 de outubro de 2017
  • Local: Plenário da Câmara de Vereadores de Cachoeirinha 
  • Endereço: rua Manatá, 565,
  • Bairro: Jardim Colinas, Cachoeirinha - RS.
  • Horário: 8h30min às 12h
  • Intervalo e Coffee Break: 10h30min
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia