Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 13 de setembro de 2017. Atualizado às 17h03.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

Alterada em 13/09 às 17h05min

Meirelles nega ser pré-candidato à presidência da República

Ministro se disse concentrado em trabalho para recolocar o Brasil na 'rota do crescimento sustentado'

Ministro se disse concentrado em trabalho para recolocar o Brasil na 'rota do crescimento sustentado'


JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL/ARQUIVO/JC
Após ser apontado como provável nome do PSD para a candidatura à Presidência em 2018, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, negou que seja pré-candidato ao cargo. Hoje, ele almoçou com integrantes da bancada do PSD, partido ao qual é filiado, em sua residência em Brasília. De acordo com o líder do partido na Câmara, Marcos Montes (MG), o PSD lançou o convite para que o ministro seja o candidato da legenda no ano que vem.
"Eu não sou pré-candidato à Presidência da República", disse Meirelles em seu perfil oficial no Twitter. Apesar disso, o ministro afirmou ter ficado "muito honrado com as palavras de todos os deputados do PSD".
Na saída do almoço, o líder do PSD disse que o ministro atende aos requisitos e, como comandante da economia, se credencia junto à sociedade e ao mercado. "Meirelles recebe sempre com entusiasmo. Se vier a ser chamado, temos convicção de que vai atender ao chamado da sociedade", afirmou. O líder disse ainda que o ministro "deu um sorriso" ao ouvir a proposta, o que "vale mais do que duas palavras".
O ministro disse em seu Twitter, porém, que está concentrado em seu trabalho no Ministério da Fazenda, com o objetivo de recolocar o Brasil na rota do crescimento sustentado. "Seguirei debatendo a política econômica com todos os parlamentares", ressaltou Meirelles.
Segundo Montes, foram discutidos no almoço temas econômicos e políticos. Não se trataram detalhes de uma eventual candidatura, como a necessidade de desincompatibilização do cargo até abril como requer a lei. Montes também lembrou que a decisão ainda passará pela presidência do partido.
"Pedimos autorização para falar de política em nome dele (Meirelles). Ele disse praticamente que sim", acrescentou Montes. Para o líder, o nome do ministro "cai como uma luva" para a candidatura do PSD à Presidência em 2018. Ele lembrou que foi um "homem do partido" que liderou a retomada do crescimento.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia