Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de setembro de 2017. Atualizado às 23h42.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

eleições

Notícia da edição impressa de 13/09/2017. Alterada em 12/09 às 21h21min

Alckmin faz ofensiva em busca de apoio no PSDB

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), divulgou ontem, em suas redes sociais, foto sua na fila de embarque do aeroporto de Congonhas.
O tucano estava a caminho de Brasília, onde teria encontros com representantes do agronegócio. A ofensiva ao setor faz parte da estratégia de Alckmin para obter apoio à sua candidatura a presidente em 2018. João Doria (PSDB), que é seu afilhado político e disputa com ele a chance de se viabilizar como candidato à presidência da República, também tem voado pelo País para conversas e reuniões - mas, no caso do prefeito, as viagens são em seu jato particular.
Pela manhã, ao participar de um evento na capital, Doria afirmou que ele mesmo banca os voos. "Eu me tornei um empresário de sucesso trabalhando. Devolvo meu salário para o terceiro setor, o carro que está aí fora é meu, o helicóptero que eu uso é meu, eu uso meu avião. Eu não preciso de dinheiro público para essas coisas", disse.

Doria muda tom e já admite disputar prévias eleitorais

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), mudou o tom do discurso que vinha empregando para tratar da possibilidade de concorrer às eleições presidenciais de 2018. Ontem, o tucano admitiu que poderá disputar prévias com o governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB), para ser o candidato escolhido pelo partido.
"Gosto do governador Alckmin, é meu amigo e por quem mantenho profunda admiração. Preferiria, não; mas o tempo vai dizer, temos até dezembro, início de março, para formatar isso."
Antes, Doria havia dito diversas vezes, que não existia a "menor hipótese" de enfrentar Alckmin - seu padrinho político - nas prévias do PSDB. Ele chegou a cogitar até uma mudança de partido caso não houvesse outra forma de ser o indicado a concorrer ao Planalto.
O relacionamento entre Doria e Alckmin se deteriorou desde que o prefeito passou a articular sua candidatura à presidência nos bastidores do PSDB.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia