Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 10 de setembro de 2017. Atualizado às 20h11.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Relações internacionais

Alterada em 10/09 às 20h14min

Macron viaja para o Caribe em reação a críticas por atuação após Irma

O governo francês defendeu neste domingo seus preparativos para os furacões que atingiram as ilhas caribenhas de São Martinho e São Bartolomeu, rejeitando críticas feitas por opositores políticos e por moradores dos locais, que se sentiram abandonados enquanto suas cidades e casas foram devastadas pelo Irma.
O presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou que viajará para São Martinho na próxima terça-feira (12), em um Airbus carregando suprimentos de ajuda, para mostrar que Paris está empenhada em ajudar e reconstruir seus territórios no Caribe.
Algumas autoridades da região centro-americana disseram que o Reino Unido também mostrava lentidão na resposta à destruição nas Ilhas Virgens Britânicas ,e o governo holandês enfrentou críticas por não agir mais rapidamente para evacuar turistas encalhados em sua metade da ilha de São Martinho. O rei holandês também visitará a região.
O furacão matou pelo menos nove pessoas no lado francês de São Martinho quando atingiu a ilha na última quarta-feira (06), destruindo uma grande quantidade de casas, carros e barcos e cortando toda a água e eletricidade por dias. Tropas extras deveriam ser enviadas para parar o saque de lojas. Outras quatro pessoas morreram no lado holandês.
A chegada do furacão José neste domingo, de categoria 4, apenas atrasou os esforços de recuperação nas ilhas Leeward. Em São Martinho, as autoridades tentavam neste domingo criar os primeiros grandes pontos de distribuição de alimentos e água, e a ilha sofre com o cheiro de detritos apodrecidos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia