Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 11 de setembro de 2017. Atualizado às 22h51.

Jornal do Comércio

  • Internacional
  • Esportes
  • Opinião
  • Colunas
  • Cadernos
  • GeraçãoE
  • Marcas
  • Vídeos
  • Login
  • Assine
  • Anuncie no JC
  • Geral

    COMENTAR | CORRIGIR

    Transporte público

    Notícia da edição impressa de 12/09/2017. Alterada em 11/09 às 22h22min

    TJ-RS mantém liminar que garante 2ª passagem gratuita

    A 1ª Câmara Civil do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) decidiu ontem manter a liminar que garante a gratuidade da segunda passagem na integração entre ônibus em Porto Alegre. A decisão indefere recurso da prefeitura, que havia dado fim ao benefício por decreto. A revogação ou a manutenção definitiva ainda depende de decisão do colegiado, sem data definida.
    Segundo o desembargador Sérgio Luiz Grassi Beck, que assina a decisão, o decreto extinguindo a isenção é ilegal e prejudica os usuários, além de favorecer as empresas que exploram a concessão, uma vez que o benefício já estava previsto em licitação realizada em 2015. A alegação de que o fim da isenção diminuirá o valor de reajustes futuros é "fundamento frágil", segundo o magistrado, uma vez que "o que se tem são apenas expectativas, que dependem de inúmeras variáveis, sendo certo que não haverá ressarcimento dos valores despendidos no período".
    O benefício vigora desde fevereiro de 2011. No período em que foi derrubado, apenas estudantes poderiam usufruir da isenção. Os demais passageiros tiveram que pagar R$ 2,02 pela segunda passagem, valor referente a 50% da tarifa, atualmente fixada em R$ 4,05 na Capital.
     
    COMENTAR | CORRIGIR
    Comentários
    Seja o primeiro a comentar esta notícia