Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de setembro de 2017. Atualizado às 09h16.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

artes visuais

Notícia da edição impressa de 12/09/2017. Alterada em 12/09 às 09h17min

Ativistas convocam ato em protesto contra fechamento de exposição do Santander Cultural

Querrmuseu foi a primeira exposição com temática queer da América Latina

Querrmuseu foi a primeira exposição com temática queer da América Latina


FREDY VIEIRA/FREDY VIEIRA/JC
A partir das 15h30min de hoje, acontece na Praça da Alfândega, em frente ao prédio do Santander Cultural (Sete de Setembro, 1.028) um ato público pela liberdade de expressão artística e contra a LGBTTFobia. O motivo é o encerramento abrupto de Queermuseu - cartografias da diferença na arte brasileira, que gerou protestos sobre o conteúdo de suas obras. A manifestação foi convocada por 17 associações LGBTT que repudiam os ataques recebidos pela instituição e a decisão do Santander pela descontinuidade da mostra.
"A ameaça de grupos conservadores foi mais importante do que se preocupar com direitos humanos", afirma Gabriel Galli, coordenador da Somos, uma das entidades que assina a convocação. O Conselho Estadual de Cultura também foi a público demonstrar sua inconformidade diante do que chama de "reação de intolerância", que deu causa ao encerramento da exposição.
Na internet, há ainda um abaixo-assinado pela sua reabertura. O conjunto das 270 obras (de nomes como Adriana Varejão, Ana Norogrando, Antonio Caringi, Cândido Portinari, Fernando Baril, Hudinilson Jr., Lygia Clark e Leonilson) foi composto a fim de promover uma abordagem sobre a expressão e identidade de gênero. De acordo com Gaudêncio Fidelis, curador da mostra, o fechamento representa um momento dramático para a história da arte brasileira: "Infelizmente, não recordo de um precedente na trajetória da produção artística brasileira nas artes visuais que seja igual a esse".
O centro cultural funciona normalmente nesta terça-feira, das 10h às 19h, com exceção da exposição principal. Um dos motivos alegados pela instituição para o fechamento da Queermuseu é a segurança das obras e das pessoas.
Em nota enviada aos clientes do banco que se manifestaram sobre o teor da montagem, o Santander Cultural reconhece que ela foi considerada ofensiva por alguns grupos e que a sua missão é incentivar as artes e dar luz ao trabalho de artistas brasileiros, para gerar reflexão positiva: "Se esse objetivo não foi atingido, temos o dever de procurar novas e diferentes abordagens". A próxima atração a ocupar o espaço é uma mostra biográfica sobre José Saramago, com abertura em 1º de novembro, em sintonia com a Feira do Livro de Porto Alegre.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia