Pedro lançou campanha nas redes sociais para chegar até a artista Pedro lançou campanha nas redes sociais para chegar até a artista Foto: MARCOS MONTEIRO/MARCOS MONTEIRO/DIVULGAÇÃO/JC

Jovem designer gaúcho cria bota para Lady Gaga

A missão de Pedro Toigo é entregá-la para a musa nesta sexta-feira (good luck!)

É com a hashtag #GagaWearsPedroToigo que um jovem designer de sapatos gaúcho tem feito barulho nas redes para chegar à Lady Gaga. Pedro Toigo, 22 anos, desenha uma bota de python para a cantora desde os 12. Sua chance única de entregá-la será nesta sexta-feira, dia 15 de setembro, quando Gaga se apresenta no Rock in Rio, no Rio de Janeiro. "Aprendi com ela que eu posso ser do jeito que eu sou", diz. (Dê o play enquanto continua a leitura)
A paixão é de adolescência. "Quando eu conheci a Lady Gaga, minha impressão foi: 'Nossa, que mulher louca'. E eu me apaixonei por aquilo, virei little monster", conta ele, que desenha sapatos desde os 9 anos. "Meus cadernos de colégio eram só isso", diverte-se.
Foi uma séria crise financeira na família que fez Pedro ir além nos negócios. A ponto de vender o apartamento onde viviam, ele apresentou aos pais o plano mirabolante para alavancar o pagamento das contas, que deu origem à Pedro Toigo Design, assinatura de sapatos e bolsas de couro exótico criada em outubro de 2015.
A esta altura, ele trabalhava como gerente de loja na Tufi Duek, onde, além de ter contato com um mailing de clientes de pe$o, conheceu a matéria-prima e se encantou.
"Comecei com cinco pares." Para apresentar o produto, ia com sacolões cheio de sapatos na casa das clientes, relembra. Feitos em couro de python, crocodilo, pirarucu e lagarto, os modelos de alta costura são exclusivos e feitos sob medida. 
O desafio de Pedro agora, além de entregar o modelo de Lady Gaga, é mostrar que seu produto é sustentável. "Todo o couro vem da Indonésia e lá a carne de réptil é ingerida, como o nosso gado. O couro que iria fora fazemos reaproveitamento", afirma. "Tudo registrado no Ibama, certificado, feito de forma legalizada", reforça o empreendedor.
A estratégia da empresa fazer de pares exclusivos foi moldada pela crise. "Eu não tinha como ter 15 pares no estoque e arriscar não vender algum. Preferi ter 15 vendidos e aí fazê-los", explica, sobre os modelos que partem de R$ 1,3 mil. Segundo ele, é vantajoso aprender na marra. "Não encontrei nenhum curso que se encaixa no meu modelo de negócio", pontua.
Em seguida, os pais passaram a trabalhar junto para ajudar nesta virada. E ela veio. Hoje, a produção do atelier tem lista de espera para noivas, formandas e debutantes que querem modelos personalizados desenhados por Pedro, atendidas com hora marcada. "Senão não dou conta", completa. As coleções rendem à empresa um crescimento de 15% ao mês.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio