Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 18 de setembro de 2017. Atualizado às 17h26.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Libertadores

Notícia da edição impressa de 14/09/2017. Alterada em 18/09 às 17h30min

Após empate sem gols fora de casa, ficou tudo para a Arena

Segurando bem a bola, volante Arthur foi destaque na etapa final

Segurando bem a bola, volante Arthur foi destaque na etapa final


/LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA/DIVULGAÇÃO/JC
Foco total. Objetivo maior do Grêmio no ano, a Libertadores é o que restou para o time em 2017, depois da desclassificação na Copa do Brasil e da dificuldade em diminuir a vantagem do Corinthians no Campeonato Brasileiro. Assim, o jogo desta quarta-feira (13), no Engenhão, no Rio de Janeiro, era a principal partida gremista na temporada. Em razão disso, o empate em 0 a 0 com o Botafogo, pelo duelo de ida das quartas de final do torneio continental, não foi um resultado a ser comemorado. Diante das circunstâncias, porém, trazer a decisão para Porto Alegre precisando de uma vitória simples acabou sendo razoável.
Com um time repleto de desfalques - Michel suspenso, Luan e Geromel lesionados - o Grêmio tratou de desacelerar a partida, tirando a velocidade do jogo e, assim, impedindo o Botafogo de impor uma pressão contra o gol de Marcelo Grohe. Sem Luan, Renato Portaluppi apostou em Léo Moura, ao menos na escalação, pois, no posicionamento, quem ocupou o espaço central foi Ramiro.
Enquanto os donos da casa apostavam na jogada aérea em busca do centroavante Roger, o Grêmio insistiu variou suas tentativas ofensivas, com preferência pelo acionamento pela esquerda de Fernandinho - de boa atuação na primeira etapa.
Mesmo com os cariocas tendo a inciativa, as duas melhores chances de abrir o placar no primeiro tempo foram gaúchas. Aos 8 minutos, Fernandinho avançou pela esquerda, venceu a marcação e chutou forte e a bola bateu na rede, mas por fora. Aos 34, Arthur envolveu os defensores pela direita, entrou na área e chutou para Gatito Fernández espalmar para escanteio. A melhor oportunidade do Fogão foi aos 30 minutos, quando bruno Silva desviou cruzamento da esquerda e a bola passou perto da trave gremista
A partida perdeu em intensidade na etapa final. O Grêmio não chegava à frente e o Botafogo, por sua vez, não também não conseguia criar oportunidades. A partir dos 30 minutos de bola rolando, os donos da casa perderam presença ofensiva - talvez por cansaço - e o Tricolor ganhou campo. Aos 33 minutos, Fernandinho por pouco não marcou o gol ao completar de primeira o cruzamento de Léo Moura. A defesa tirou sobre a linha.
Sem qualidade no setor ofensivo, o time carioca não conseguiu vencer o sistema defensivo gremista nos minutos finais. Já Grêmio, pareceu se contentar com o empate sem gols. Assim, a decisão da vaga nas semifinais ficou para o jogo da volta, na próxima quarta-feira, na Arena do Grêmio. 
Botafogo 0 x 0 Grêmio
Gatito Fernández; Arnaldo, Igor Rabello, Joel Carli e Gilson; Bruno Silva, Matheus Fernandes, Léo Valência (Marcos Vinícius), João Paulo (Rodrigo Lindoso) e Rodrigo Pimpão (Guilherme); Roger. Técnico: Jair Ventura.
Marcelo Grohe; Edilson, Bressan, Kannemann e Cortez; Arthur, Jaílson, Ramiro, Léo Moura (Thyere) e Fernandinho; Barrios (Everton).Técnico: Renato Portaluppi.
Árbitro: Jose Argote (VEN)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 14/09/2017 10h17min
VOU PROFETIZAR SOBRE O JOVEM CRAQUE ARTHUR !!!nnEle será muito mais completo e vencedor, do que o Renato Portaluppi.nnAbs. Dorian Bueno, POA, 14.09.2017