Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 22 de setembro de 2017. Atualizado às 10h14.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Habitação

Notícia da edição impressa de 22/09/2017. Alterada em 22/09 às 10h20min

Caixa reduz ritmo do crédito imobiliário

Banco já emprestou R$ 62 bilhões neste ano, informou a instituição

Banco já emprestou R$ 62 bilhões neste ano, informou a instituição


/FREDY VIEIRA/JC
A Caixa Econômica Federal começou a reduzir o ritmo do crédito habitacional, sobretudo com recursos do FGTS. A decisão já vale para este mês, quando o banco suspendeu por uma semana a concessão de todos os financiamentos para a compra da casa própria.
A necessidade de ajustar o sistema do banco à nova norma do Ministério das Cidades - que fixou limites mensais para os financiamentos imobiliários com recursos do FGTS - foi a justificativa apresentada pela Caixa para paralisar as contratações temporariamente. Segundo o vice-presidente de Habitação da Caixa, Nelson Antonio de Souza, as operações foram normalizadas nesta quinta-feira em todo o País.
"Como o sistema é um só, precisamos suspender todas as contratações para fazer ajustes a fim de adequar à IN (Instrução Normativa) do Ministério das Cidades, que mensaliza o orçamento", explicou Souza.
A Instrução Normativa nº 32 do ministério, editada em agosto, determina que a Caixa divida o valor global do orçamento do FGTS (que neste ano é de R$ 84,2 bilhões) pelo número de meses, de modo a assegurar a oferta de empréstimos habitacionais durante todo o ano. O argumento é que o fundo não dispõe de margem para liberar recursos novos, além do valor anual, aprovado pelo Conselho Curador.
Até setembro, a Caixa já emprestou R$ 62 bilhões, de acordo com dados o banco. O volume de empréstimos imobiliários está 20,5% acima do montante registrado entre janeiro e setembro de 2016 - quando o orçamento liberado foi de R$ 81 bilhões.
Só no mês passado, o banco concedeu R$ 11,8 bilhões em financiamentos imobiliários. Neste mês, as concessões somaram R$ 2 bilhões, de acordo com dados preliminares.
"Considerando o orçamento anual e o ritmo de contratação, o banco adotou a estratégia de execução mensal do orçamento para todas linhas de crédito imobiliário", disse a nota do banco, acrescentando: "A Caixa ressalta que os financiamentos não estão suspensos. Os financiamentos de pessoa física ou jurídica serão devidamente contemplados de acordo com a execução do orçamento mensal. Os recursos de financiamentos para o ano de 2018 também estão garantidos pelo orçamento do FGTS".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia