Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 13 de setembro de 2017. Atualizado às 11h42.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

indústria automotiva

13/09/2017 - 10h21min. Alterada em 13/09 às 11h46min

GM retoma o terceiro turno em Gravataí e abre 700 novas vagas imediatas

Vagas serão para as funções de operadores de produção e técnicos de manutenção

Vagas serão para as funções de operadores de produção e técnicos de manutenção


CLAITON DORNELLES /JC
Bruna Oliveira
A General Motors (GM) vai retomar o terceiro turno de trabalho no complexo de Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre. A medida implicará a contratação imediata de 700 novos trabalhadores nas funções de operadores de produção e técnicos de manutenção. As inscrições já estão abertas no site da montadora
O anúncio da nova jornada na indústria foi feito nesta quarta-feira (13) ao prefeito de Gravataí, Marco Alba, pelo diretor de Assuntos Institucionais da General Motors, Ricardo Santiago, e a gerente de Relações Governamentais e Institucionais da General Motors, Daniela Kraemer.
A retomada de produção nos três turnos ocorre após dois anos de pausa. Em novembro de 2015, a montadora instituiu regime de lay-off para os 825 funcionários que trabalhavam no terceiro turno da planta gaúcha. Alguns desses trabalhadores foram realocados em outros turnos, mas cerca de 300 foram demitidos após o fim do lay-off.
Em agosto deste ano, a GM anunciou investimento de R$ 1,4 bilhão na fábrica, aporte será feito para introduzir um novo modelo e plataforma global em Gravataí, que atenderá ao mercado interno e externo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia