Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de setembro de 2017. Atualizado às 14h01.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura

Alterada em 12/09 às 14h01min

Expectativa é que Brasil termine ano com crescimento acima de 2%, diz Meirelles

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, reforçou nesta terça-feira, durante reunião aberta com o presidente Michel Temer, sindicalistas e empresários que a retomada do crescimento da economia brasileira está com viés de alta e que o objetivo é que o país passe a crescer a taxas mais elevadas "ao redor de 4% ao ano".
"Nossa expectativa, e isso é muito importante, é que o Brasil já termine o ano com crescimento acima de 2%. Para o crescimento médio (2017) nossa previsão ainda é de 0,5%, mas com viés de alta", afirmou. "As previsões estão sendo revisadas para cima por todos os economistas", completou.
Segundo ele, para a entrada de 2018, o ritmo de crescimento deve ser de "3% ou superior a isso".
Meirelles disse ainda que ouviu todas as reivindicações de empresários e sindicalistas e que o governo trabalha em duas frentes. "Estamos de um lado resolvendo os problemas que levaram o Brasil a essa crise", disse. "As consequências que estamos enfrentando são serias, mas não há dúvida, no entanto, que já existem resultados importantes", completou.
O ministro da Fazenda afirmou ainda que a economia já voltou a crescer e que no primeiro trimestre houve um crescimento muito expressivo "fortemente influenciado pela safra agrícola". "Mas os demais setores já começaram a crescer", comentou.
'Direção certa'
Meirelles reforçou durante a reunião aberta com o presidente Michel Temer, sindicalistas e empresários que o governo está na "direção certa" e que isso precisa ser mantido. Ele afirmou ainda que a agenda de reformas é fundamental para a recuperação econômica e retomada do emprego. "Vamos trabalhar, vamos ter confiança porque o país está na direção certa e nosso compromisso é mantê-lo nessa direção", disse.
Segundo Meirelles, alguns indicadores já mostram uma retomada da produção e da confiança que dão ao país as condições de "perseguir agenda de reformas" e também de medidas microeconômicas. O ministro destacou ainda que o presidente Temer está comprometido com a agenda de reformas. "A mensagem é o seguinte: vamos trabalhar, vamos de fato perseguir a agenda de reforma, mas no ambiente de cada um, cada um cumprindo suas funções", afirmou.
Meirelles disse ainda que está "trabalhando sério e que a economia vai ter condições de produzir mais e melhor". "Os resultados já são evidentes". O ministro citou ainda a queda da inflação e dos juros e disse que o aumento da capacidade das empresas de investir vai dar oportunidades para que os juros possam cair ainda mais chegando a um "padrão internacional".
Entre algumas medidas que o governo tem tomada para acelerar o crescimento Meirelles destacou a redução do tempo de abertura de empresas, que antes era de 101 dias. "Isso não é para construir escritório ou fábrica é só pra preencher papel", disse, afirmando que a ideia é reduzir o tempo para abrir empresa para 10 dias, depois sete e por fim, três. "Que é o padrão das melhores e mais eficientes economias do mundo", destacou.
Meirelles falou ainda que os "dados são sólidos" e "alguns impressionantes" e citou novamente o crescimento do setor automobilístico de 45% em agosto ante o mesmo mês do ano passado. "É de fato um crescimento muito forte."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia