Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 11 de setembro de 2017. Atualizado às 14h21.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura internacional

Alterada em 11/09 às 14h24min

Furacões devem gerar efeito negativo para preços do petróleo, diz Goldman Sachs

Dois grandes furacões que atingiram os Estados Unidos recentemente devem resultar em efeito negativo para os preços do petróleo, de acordo com analistas do Goldman Sachs. O furacão Irma deve conter a demanda pela commodity, mas não a produção ou o processamento. Já o impacto negativo do Harvey sobre a demanda pode ser ainda maior, diante da grande concentração de atividade petroquímica intensiva em energia em sua trajetória.
A perda de demanda somada gerada por esses dois furacões levará a um impacto negativo para o petróleo global, na avaliação do banco. Ao longo dos próximos meses, porém, o banco acredita que a recuperação após a tempestade deve levar a demanda por petróleo a um patamar maior, o que ajudará a compensar gradualmente esse impacto negativo inicial.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia