Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de setembro de 2017. Atualizado às 18h09.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Empresas

05/09/2017 - 13h54min. Alterada em 05/09 às 13h54min

PDG pede prorrogação de blindagem contra processos até votação do plano

A incorporadora PDG Realty pediu a prorrogação da blindagem contra processos judiciais e execuções de dívidas (stay period) até a votação do plano de recuperação na assembleia de credores. O documento foi encaminhado na segunda-feira (4) à noite para a 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo pelo escritório E. Munhoz, que representa a empresa. A PDG entrou em recuperação judicial em fevereiro, após acumular R$ 5,75 bilhões em dívidas com 23 mil credores.
Na petição, os advogados da PDG alegam que um agravo tramitado no Tribunal de Justiça de São Paulo alterou o prazo para a recuperação judicial da incorporadora, que seria contado em dias úteis, conforme determinação inicial do juízo, e passou para dias corridos. Dessa maneira, o vencimento do período de blindagem foi antecipado de 30 de novembro para 4 de setembro.
"Ocorre que o presente processo envolve singular complexidade, seja pelo enorme número das 512 sociedades integrantes do polo ativo, seja pelo ineditismo de temas referentes ao setor imobiliário, tais como os patrimônios de afetação", argumentam os advogados.
"No presente caso, a prorrogação do período de suspensão das ações e execuções até a efetiva votação do plano de recuperação judicial viabilizará que as recuperandas continuem agindo proativamente e negociando, em um ambiente de segurança e estabilidade jurídicas, as medidas de reestruturação a serem implementadas neste processo", acrescentam.
A PDG ainda não tem data agendada para a assembleia de credores. A companhia segue em negociação com seus principais credores, entre eles Itaú, Caixa, Banco do Brasil e Bradesco.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia